Data/Local:
5 Outubro 2019
9h00
LISBOA - Mercure Lisboa Hotel

Duração:
Dia inteiro - 8horas

Destinatários:
Médicos, Médicos Dentistas (e respetivos estudantes)

Vagas:
Limitadas à capacidade da sala, por ordem de receção das inscrições.

8h30 - Abertura de Secretariado
9h00 - Bases bioquímicas e mecanismos de ação do Ozono
9h30 - Indicações gerais, contra-indicações e vias de aplicação
10h00 - Importância da análise redox antes da Ozonoterapia. Stress oxidativo natural e induzido. Bases para uma dosagem científica
10h30 - 11h00 - Coffee-break
11h00 - Tipos de geradores
11h30 - Indicações e avanços em Medicina, Medicina Dentária e Fisioterapia. Bases científicas e níveis de evidência
12h30 - Aspetos Legais em Ozonoterapia
                Dr. João Gonçalves
Resumo: A terapia com esta mistura gasosa está incluída dentro do acto médico, faz parte do leque de opções terapêuticas que o médico possui depois da avaliação clínica e diagnóstico.
É considerada a sua eficácia pela medicina da evidência para o tratamento da dor e da hérnia discal classe A e para outras patologias B e C pelos numerosos trabalhos científicos publicados.
É segura, contra-indicações são poucas, a mais importante é a deficiência da enzima glucose 6 fosfato desidrogenase e complicações descritas são numa percentagem ínfima (0.006%).
O custo benefício é baixo e a facilidade com que a terapêutica pode ser executada necessitando só de um gerador de ozono e de material próprio (seringas e agulhas). Este material tem que estar certificado pelo Infarmed e certificação CEE.
O local (consultório) tem de obedecer à legislação para o consultório e tem que ter dimensão adequada e bem ventilado pois o ozono é tóxico para as vias aéreas e não pode ser inalado.
Esta terapia foi homologada pelo colégio de especialidade de Anestesia para o tratamento da Dor e criou códigos para tratamento articular e de hérnia discal e de outros tratamentos que não especificou, deixando a possibilidade de ser aplicado por outras vias como sejam a retal, a EV, a muscular, etc.
Como sabem, pode utilizar-se de várias formas, excluindo a respiratória. Sendo assim, a utilização legal da ozonoterapia está confinada ao ato médico e pode ser utilizado por vários especialistas desde que tenham feito formação na área da Ozonoterapia.
Hoje em dia, muitas especialidades médicas utilizam a Ozonoterapia como mais uma ferramenta para o tratamento dos seus doentes utilizando diferentes vias de administração.
Em resumo, pensamos que se pode criar, de futuro, a competência em Ozonoterapia pela Ordem dos Médicos, para que esta atividade possa ser mais controlada e feita por profissionais com formação e com mais eficácia e segurança, pois é nessa que a nossa atuação se baseia.
13h00 - 14h30 - ALMOÇO LIVRE
14h30 - Dor Orofacial e Patologia da ATM - Indicações e Limitações
15h30 - Dor Neuropática, Nevralgia do Trigémio e Cefaleias - Indicações e Limitações
16h30 - 17h00 - Coffee-break
17h00 - Protocolos de Ozonoterapia - prática em modelos
19h00 - Encerramento

Dr. João Gonçalves

 

- Licenciado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa em 1987
- Especialista em Ortopedia 1996
- Especialista em Medicina Desportiva 2001
- Diretor do Serviço de Ortopedia do Hospital Militar de 2000 a 2012
- Grau de Chefe de Serviço Carreira Pública
- Diretor Clínico Mútua dos Pescadores desde 2007
- Médico da Federação de Judo de 1998 a 2004
- Médico da Federação de Lutas Amadoras desde 2004
- Médico do Comité Olímpico Português
- Presidente da Sociedade Portuguesa de Oxigénio, Ozonoterapia e Medicinas Regenerativas desde 2011

Inscrição

As inscrições já se encontram abertas!! Vagas limitadas à capacidade da sala, por ordem de receção das inscrições.

  • Não Sócios SPDOF

    250.00€
  • Sócios SPDOF

    150.00€
    Exclusivo a Sócios Efetivos SPDOF com situação de quotas regularizada
Share
TOP