Comissão Organizadora

  • André Mariz de Almeida (Presidente)
  • Gabriela Videira
  • Júlio Fonseca
  • Lurdes Veloso
  • Joana Pereira
  • Tiago Oliveira
  • Paula Moleirinho
  • Sérgio Neto
  • Ricardo Dias
  • Ricardo Santos
  • João Fonseca e Costa
  • Filipa Ricardo
  • Filipa Martins
  • Nuno Jorge
  • Tiago Delgado
  • Tiago Neto
  • Rodrigo Ramos
  • Francisco Santos
  • Maria Silva
  • Madalena Caçador
  • Maria Francisca Sousa

Comissão Científica

  • Prof.ª Dr.ª Alexandra Vinagre
  • Prof.ª Dr.ª Maria Carlos Quaresma
  • Prof.ª Dr.ª Maria Paço
  • Prof.ª Dr.ª Paula Moleirinho Alves
  • Prof. Dr. Ricardo Santos
  • Dr. Tiago Neto
  • Prof.ª Dr.ª Fátima Feliciano

O V Congresso da SPDOF realiza-se no Campus Universitário Egas Moniz no Monte da Caparica, em Almada.

Endereço:
Campus Universitário, Quinta da Granja,
2829-511 Monte de Caparica, Almada

 

Como chegar

De automóvel - partindo da Praça de Espanha ou Eixo N-S, tomar a auto-estrada A2 no sentido de Setúbal (A2-Sul), virar à direita logo após a travessia da Ponte 25 de Abril na indicação “Caparica” e seguir pela via rápida da Costa de Caparica (IC20) até à saída ”Monte de Caparica”, seguindo o percurso indicado no mapa. Vindo de Setúbal, apanhar a a auto-estrada A2 no sentido de Lisboa, virar à direita na indicação "Caparica" (antes da Ponte 25 de Abril) e seguir pela via rápida da Costa de Caparica (IC20) até à saída ”Monte de Caparica”, seguindo o percurso indicado no mapa.
Coordenadas GPS: Latitude: 38°40'2.52"N | Longitude: 9°11'57.26"W

De comboio – através dos comboios da Fertagus (vindo de Lisboa ou de Setúbal/Coina), com saída na estação do Pragal. Tomar: o Metro no sentido Universidade (linha 3), com saída no Monte de Caparica; ou os autocarros da TST, com destino a Marisol (126), Fonte da Telha (127), Trafaria (125) ou Costa de Caparica (124/194), com descida no Monte de Caparica (R. Trabalhadores Rurais/Largo da Igreja).
Horários e outras informações: http://www.fertagus.pt/

De Metro Transportes do Sul (MTS) – vindo de Cacilhas (directo) ou Corroios (com mudança de linha), apanhar o metro da Linha 3, em direcção à Universidade e sair na paragem do Monte de Caparica.
Horários e outras informações: http://www.mts.pt/

De autocarro – vindo de Lisboa: usar os autocarros dos Transportes Sul do Tejo (TST) que ligam a Praça de Espanha (metro Praça de Espanha) ou Areeiro (metro Areeiro) à Costa de Caparica, devendo apear-se na paragem da portagem da Ponte 25 de Abril. Qualquer autocarro da TST que parta destes locais e que pare na paragem da portagem da Ponte 25 de Abril também servirá, incluindo o autocarro n.º 753 da Carris (que parte da Pç. José Fontana, passando pelo Marquês de Pombal e Amoreiras).
A partir da paragem da portagem, subir a rampa para o Pragal e tomar os autocarros da TST, com destino a: Marisol (126), Fonte da Telha (127), Trafaria (125) ou Costa de Caparica (124), com descida no Monte de Caparica (R. Trabalhadores Rurais/Largo da Igreja).
Vindo de Cacilhas tomar os autocarros da TST, com destino a: Marisol (126), Fonte da Telha (127), Trafaria (125) ou Costa de Caparica (124), com descida no Monte de Caparica (R. Trabalhadores Rurais/Largo da Igreja).
Vindo da Costa de Caparica apanhar o autocarro para Cacilhas (124) ou Pragal (194) e sair no Monte de Caparica (R. Trabalhadores Rurais).
Horários e outras informações: http://www.tsuldotejo.pt/ e http://www.carris.pt/

De barco - do Cais do Sodré (metro Cais do Sodré) para Cacilhas, através dos barcos da Transtejo. Após a chegada a Cacilhas, apanhar o metro ou autocarro (conforme indicações acima referidas). Pode também apanhar o barco na estação de Belém para o Porto Brandão seguido de autocarro da TST para o Monte de Caparica, com descida na R. Trabalhadores Rurais.
Horários e outras informações: http://www.transtejo.pt/

Para que não perca nenhuma conferência, a Comissão Organizadora disponibiliza, a todos os conferencistas, a oportunidade de poderem usufruir de uma refeição no próprio local do evento.

Para os dois dias do Congresso, este almoço será servido em formato de lunch box no átrio dos Auditórios.

14h30 - 18h30

TARDE

  • Prótese da Articulação Temporomandibular
    Florencio Monje Gil

Encerramento

Auditório 1
8:30Abertura de Secretariado
9:00A importância do diagnóstico do desgaste dentário : Noções de Reabilitação em dentes desgastados
Dr. João Rua e Dr.ª Ana Vieira (PT)
10:00Discussão
10:15Update de Bruxismo
Prof. Dr. Antonio Romero Garcia (ES)
11:00Coffee-break
11:30Update de Bruxismo (continuação)
Prof. Dr. Antonio Romero Garcia (ES)
12:15Discussão
12:00Cerimónia de Abertura
13:00ALMOÇO NO ÁTRIO
14:30Abordagem interdisciplinar da SAOS na criança. Qual o papel do Pediatra?
Dr.ª Rosário Ferreira (PT)
14:50Abordagem interdisciplinar da SAOS na criança. Qual o papel do Otorrinolaringologista?
Dr.ª Joana Vaz Castro (PT)
15:10Abordagem interdisciplinar da SAOS na criança. Qual o papel do Ortodontista?
Prof.ª Dr.ª Alexandra Vinagre (PT)
15:30Abordagem interdisciplinar da SAOS na criança. Qual o papel do Terapeuta da Fala?
Dr. Ricardo Santos (PT)
15:50Abordagem interdisciplinar da SAOS na criança. Qual o papel do Cirurgião Maxilofacial?
Dr.ª Sandra Ferreira (PT)
16:10Discussão
16:30Coffee-break
17:00Abordagem interdisciplinar da SAOS no adulto. Qual o papel do Pneumologista?
Dr.ª Vânia Caldeira
17:20Abordagem interdisciplinar da SAOS no adulto. Qual o papel do Médico Dentista?
Dr.ª Gabriela Videira (PT)
17:40Abordagem interdisciplinar da SAOS no adulto. Qual o papel do Fisioterapeuta?
Dr.ª Filipa Ricardo (PT)
18:00Cirurgia Extrafaríngea para o Tratamento da Apneia Obstrutiva do Sono
Dr. Pedro Oliveira (PT)
18:40Discussão
19:00Encerramento

Vagas: 50 pessoas
Modo de apresentação: Workshop teórico
Duração: 4 horas
Destinatários: Médicos, Médicos dentistas, Cirurgiões Maxilofaciais, Fisioterapeutas e Terapeutas da Fala (e respetivos estudantes)

Com o apoio de:

Resumo do Workshop

Os distúrbios do sono têm uma alta prevalência na população em geral, causando um alto impacto na qualidade de vida das pessoas que sofrem com este tipo de distúrbios. Patologias como a Apneia Obstrutiva do Sono (AOS), a insónia crónica, o Síndrome de Pernas Inquietas, etc. implicam a necessidade da prestação alargada de cuidados de saúde, salientando a importância da intervenção interdisciplinar, devido à dimensão multifatorial que estas patologias apresentam. As elevadas comorbidades cardiovascular, metabólica e neurológica, entre outras, aumentam a importância dum diagnóstico precoce e uma abordagem adequada.

De entre os distúrbios de sono mais importantes encontram-se os distúrbios respiratórios, que podem comprometer gravemente a saúde, e no caso a AOS pode ser potencialmente fatal. A AOS é uma patologia sub-diagnosticada, pelo que a necessidade dos vários clínicos estarem despertos para um screening da mesma é fundamental.

Existe também uma associação entre AOS, o refluxo grastroesofágico e o Bruxismo do Sono; entidades que devem ser bem conhecidas e abordadas adequadamente pelo médico dentista, sempre em conjunto com uma equipa multidisciplinar (fisioterapia, terapia da fala, cirurgia maxilo-facial, neurologia, pneumologia, etc) A AOS é um problema de saúde pública. Estima-se que nos EUA existam 23,5 milhões de adultos não diagnosticados e não tratados. Em Espanha a prevalência é de 4 a 6%, afetando mais de 2 milhões de pessoas.

Geralmente para o tratamento a opção mais utilizada é o CPAP (dispositivo de pressão positiva continua). No entanto, muito casos de AOS implicam outras opções terapêuticas como dispositivos intra-orais de avanço mandibular (DAM), cirurgia pela ORL e maxilo-facial são também necessárias em alguns pacientes, e a terapia coadjuvante por parte da fisioterapia, terapia da fala ou ambas, é muitas vezes necessária.

Do ponto de vista da intervenção da fisioterapia, existem múltiplas abordagens e estratégias que devem ser implementadas. Ao nível das comorbidades e fatores de risco, a fisioterapia intervém quer ao nível do exercício físico quer ao nível da condição músculo-esquelética que facilite a adesão ao mesmo. Também uma avaliação e intervenção preventiva deverá ser posta em prática nos paciente que são tratados com DAM e o cuidado com a DTM deverá estar sempre presente. A educação e facilitação da adaptação ao CPAP, assim como nas mudanças de comportamentos é algo que também deverá ser implementado.

Hoje em dia discute-se também, se a intervenção do fisioterapeuta em condições músculo-esqueléticas especificas da região mandibular e cervical podem ou não, ter algum tipo de impacto sobre a condição patológica em si.

Em terapia da fala, especificamente na terapia miofuncional, o foco está em re-equilibrar a via aérea superior, aumentando a permeabilidade ventilatória durante o sono através da adequação do tónus dos tecidos moles oro-faringeos com o objetivo de evitar o seu colapso e consequente obstrução à passagem do ar.A avaliação em terapia miofuncional foca-se não só no desempenho muscular das estruturas como nas funções estomatognáticas que estas desempenham e a intervenção está sempre integrada numa dinâmica multidisciplinar facilitadora da integração de outros tratamentos considerados indicados para o indivíduo com AOS.

Formadores

Dr.ª Rosana Cid

-Licenciada en Odontología, Especialista Universitario en Trastornos Temporomandibulares y Dolor Orofacial, Universidad Complutense de Madrid.
- Experto en Medicina Dental del Sueño por la Federación Española de Sociedades de Medicina del Sueño (FESMES)
- Profesora Colaboradora, Universidad Complutense de Madrid.
- Profesora del departamento de Odontología Clínica, Universidad Europea de Madrid.
- Docente Internacional de la Academia Mexicana de Medicina Dental del Sueño (AMMDS).
- Secretaria de la Sociedad Española de Disfunción Craneomandibular y Dolor Orofacial (SEDCYDO), España.
- Miembro Fundador de la Sociedad Española de Medicina Dental del Sueño (SEMDeS), España.
- Miembro del Grupo Di Studio Italiano di Disordini Craniomandibulare (GSID), Italia.
- Dedicación exclusiva en Trastornos Temporomandibular, Dolor Orofacial y Medicina Oral del Sueño. Clínica Mediest y Hospital de la Zarzuela, Madrid (España). 

Dr. Tiago Oliveira

- Fisioterapeuta, licenciado em 2002 pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra
- Prática clínica exclusiva na área da disfunção temporomandibular e dor orofacial - Orisclinic e Clínica da Foz
- Sócio-fundador e atualmente Presidente da Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
- Coordenador do Curso Modular de Fisioterapia na Disfunção Temporomandibular, pela Oriseducare
- Pós-graduação em Fisiopatologia do Sistema Músculo-esquelético Crânio-mandibular, Crânio-cervical e Dor Facial, com o Prof. Dr. Mariano Rocabado
- Co-coordenador do 1º e 4º livros publicados pela Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
- Co-autor em capítulos dos 2º e 3º livros da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
- Orador em vários eventos científicos com temas relacionados com a disfunção temporomandibular
- Membro efetivo do Conselho Geral da Ordem dos Fisioterapeutas

Dr. Filipe Vicente

- Licenciatura em Terapia da Fala pela Escola Superior de Saúde do Alcoitão
- Pós-Graduação em Motricidade Orofacial pelo Instituto EPAP
- Formação Especializada em Miofuncionalidade Oral pelo CRIAP
- Especialização em Fisiologia do Exercício em MOF pela GEAD
- Formação em Respiração e Distúrbios do Sono pelo Instituito EPAP
- Prática exclusiva em Motricidade Orofacial

Preço

  • Sócio SPDOF

    45.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    65.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 20 pessoas
Modo: Teórico-demonstrativo
Duração: 4horas
Destinatários: Médicos e Médicos dentistas (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

A - Componente teórica (9h00-10h30):

“Occlusal splints, oral appliances and orthopeadic devices in the management of the TMD disoders. A history of use, and abuse”

Formador: Professor Doutor António Romero-Garcia (Univ. Valência – Espanha)

Resumo:

In the beginning it was almost all about occlusion. As many of you already know dental occlusion has classically be given the most important role for the genesis of temporomandibular disorders. So nobody can be surprised that trying to solve occlusal derived problems by putting something between the teeth can be considered the most frequent used therapy by dentists when dealing with TMD issues.

But since 1934 when Dr. Costen firstly described TMJ dysfunction coined by himself as Costen´s syndrome we have learned a little bit about the importance of considering temporomandibular disorders as only a little part of the different entities which can cause pain in the orofacial pain area. And of course occlusal disturbance is not the main cause for ALL of them. Neither we need great occlusal reconstruction or phase 2 treatments to provide relief to all our patients.

Obviously this also has had a consequence in the way we face the chronic pain in the masticatory system and we have moved from an almost pure occlusal treatment philosophy to a biopsychosocial model that it considered nowadays the right way to manage chronic TMD and orofacial pain.

Does this that mean that oral appliance shouldn´t be used anymore for TMD management? Not just this, but it is important to put in place or in context when, how and why we can use them and which is the evidence behind their use.

In this lecture we will review all the one million dollar questions about oral orthotics in the management of TMD disorders, discussing the science (and the absence of it sometimes….) behing their use and ABUSE.

It is all about creating a  critical thinking atmosphere to provide a profound reflection about the role of intraoral appliances when managing TMD disorders and orofacial pain that every dentist should aware of.

 

B - Componente teórico-prática (11h00-13h00):

Goteiras oclusais CAD/CAM, porquê?

Formadores:

Prof. Doutor Ricardo Dias (Faculdade Medicina - Universidade Coimbra) e TPD Carlos Nicolai (Laboratório Clínica Hugo Madeira - Lisboa)

Resumo:

As goteiras oclusais foram e continuam a ser um recurso de primeira linha na abordagem terapêutica conservadora e pouco invasiva das DTM e bruxismo.

A tecnologia CAD/CAM têm-se traduzido numa (R)Evolução na prática clínica, mas principalmente na prática laboratorial. Contrariamente ao expectável, esta não significa facilidade de procedimentos, mas sim maior precisão, adaptação e reprodutibilidade nos dispositivos orais produzidos segundo um protocolo digital.

O CAD/CAM encerra em si dois momentos importantes, o do desenho e definição do objeto (CAD) e o da obtenção do mesmo (CAM). Para a concretização do desenho o técnico de laboratório necessita de trabalhar num ambiente virtual. O modelo virtual pode ser obtido a partir de uma impressão digital ou a partir da leitura ótica de um modelo convencional. Após a obtenção do modelo virtual e realizado o desenho do dispositivo oral, este é traduzido num ficheiro que poderá ser enviado para uma impressora 3D ou para uma fresadora. Os materiais utilizados representam, por si só, uma mais valia. O facto de serem pré-fabricados em condições controladas e padronizadas, traduz-se numa maior qualidade dos produtos finais obtidos

Independentemente da técnica utilizada para a obtenção do dispositivo final, os procedimentos clínicos e laboratoriais para a obtenção do dispositivo são semelhantes. Na atualidade o clínico não se deve sentir “ultrapassado” por ainda não conseguir realizar a impressão digital, porque isso não significa que não pode usufruir das mais valias do CAD/CAM. Não ser 100% não significa “desatualização” ou não fazer parte da era digital. 

Nesta formação serão apresentados detalhadamente os procedimentos para a obtenção de uma goteira oclusal pela técnica CAD/CAM, e demonstradas as vantagens/desvantagens face à técnica convencional (procedimentos necessários, materiais, passividade, retenção, ajustes, etc.). Ao vivo será demonstrado, e os participantes terão oportunidade de realizar alguns dos procedimentos, todo o workflow digital: Impressão digital com scanner intraoral, desenho CAD realizado por técnico de laboratório, obtenção do ficheiro .STL, impressão 3D (CAM), acabamento da goteira e entrega da mesma. Para aqueles clínicos que não possuam a possibilidade de impressão digital, será igualmente abordado todo o protocolo para a obtenção de uma goteira CAD/CAM, através da integração de procedimentos convencionais de impressão em clínica,  com os digitais realizados em ambiente laboratorial.


Objetivos:

  • O papel das goteiras oclusais na abordagem terapêutica das DTM e bruxismo na atualidade;
  • Tipos de goteiras oclusais (conhecer as diferenças e indicações);
  • Goteiras oclusais convencionais vs. CAD/CAM (o que as distingue);
  • Goteiras oclusais CAD/CAM – Impressão 3D vs. Fresagem (qual o método a optar);
  • Procedimentos clínicos e laboratoriais para a obtenção de uma goteira oclusal CAD/CAM.

Formadores

Professor Doutor Antonio Romero-Garcia

- DDS. University of Valencia.1992.
- PhD. University of Valencia. 1997.
- Postgraduate Degree in Statistics Analysis applied to Health and Life Sciences. 1996.
- Master of Science in Pain Management.Universidad Europea Miguel de Cervantes and Spanish Pain Society 2017
- Diplomate by the American Board of Orofacial Pain. 1999.
- Past Member of the Examination Committee of the  American Board of Orofacial.
- Member of the American Academy of Dental Sleep Medicine.
- International Certificant by the American Academy of Dental Sleep Medicine.
- Member European Academy of Orofacial Pain and Dysfunction.
- Fellow of the American Academy of Orofacial Pain.
- Past Member of the Research Committee of the American Academy of Dental Sleep Medicine.
 -Member of the Education Committee of the World Dentofacial Sleep Society
- Member of the International Myopain Society.
- Member of the Italian Study Group of Orofacial Pain and Temporomandibular Disorders. (GSID)
- Manual Therapy by the AAOP. 2012.
- Mini-residency in Dental Sleep Medicine. Tufts University (Boston) 2013-2014
- Member of the Spanish Society of Temporomandibular Disorders and Orofacial Pain , Spanish Pain Society and Spanish Society of Dental Sleep Medicine. Member of the Spanish Federation of Sleep Medicine Societies (FESMES)
- Professional Certificate in Innovation and Entrepreneurship . Stanford University (Palo Alto, USA)
- Executive Education in Artificial Intelligence in Healthcare (Massachussets Institute of Technology, Boston, USA)
- Member of the Spanish Pain Society (SED) and Multidisciplinary Spanish Pain Society (SEMDOR)
- Past President of the Scientific Committee of the Spanish Society of Dental Sleep Medicine.
- Past President of the Scientific Committee of the Spanish Society of Craniomandibular Disorders and Orofacial Pain
- President of the XXIII Annual Meeting. 2012.
- Past Vicepresident of SEDCYDO.

Antonio Romero has been  2 times awarded with the  Echeverría Muro Award of the Spanish Society for the Study of Craniomandibular Disorders and Orofacial Pain  to the best oral presentation in the Research Section.
- Member of the International Association for the Study of the Pain (IASP) Member of the Special Interest Groups in Orofacial Pain, Neuropathic Pain, Musculoskeletal Pain and Education in Pain
- Co-director of the Advanced Training Course in Occlusion, TMD, Orofacial Pain and Dental Sleep Medicine.
- Ex Assistant Professor or the Univeristy of Valencia.
- Invited lecturer. Dental Sleep Medicine Miniresidency and Miniresidency in TMD and Orofacial Pain.Tufts University in Boston (USA) from 2014 to the present
- Invited lecturer Executive Master in Orofacial Pain (University of Siena).2022 to present

Dr Romero has presented many courses and lectures on the topics of Temporomandibular Disorders, Orofacial Pain, Bruxism and Dental Sleep Medicine in Spain as well as overseas (Europe, USA, Asia, Mexico, Australia, SouthAmerica)
- Author of several scientific publications in the field
- Author of book chapters the topics of TMD, Orofacial Pain and Dental Sleep Medicine.
- Member of the Editorial Council of the American Journal of Dental Sleep Medicine.
- Scientific reviewer of international peer-reviewed scientific journals:  Journal of Oral Rehabilitation, Journal of Orofacial Pain and Clinic Oral Investigations

Antonio Romero teaches as an invited lecturer in the topics of TMD, Orofacial Pain and Dental Sleep Medicine in several public and private Universities in Spain and over the world while running a Private Practice exclusively dedicated to the field (Craneosalud) in Valencia (Spain) with more than 30 years of professional experience.

Romero is a long distance triathlon passionate and is Ironman Certified Coach and so far 16 times-Ironman finisher. In his free time he is mentor and coach for athletes and colleagues.

Prof. Dr. Ricardo Dias

- Médico Dentista inscrito na Ordem dos Médicos Dentistas com a cédula profissional nº 5448
- Licenciado em Medicina Dentária pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) em 2006
- Pós-graduado em Reabilitação Oral Protética pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra em 2009;
- Doutorado em Ciências da Saúde, Ramo de Medicina Dentária, especialidade de Prótese Dentária e Oclusão, disciplina de Oclusão, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, em 2015;
- Assistente Convidado da disciplina de Prostodontia Fixa do Mestrado Integrado em Medicina Dentária e da Pós-graduação em Reabilitação Oral Protética da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra desde 2008;
- Investigador em Reabilitação Oral nas áreas de implantologia, disfunções temporomandibulares, bruxismo, dor orofacial e medicina dentária do sono na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra;
- Prática clínica privada em reabilitação oral protética, disfunção temporomandibular, bruxismo, dor orofacial e medicina dentária do sono;
- Cofundador e Secretário Geral Adjunto da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial, desde 2015;
 -Vogal do Conselho Regional do Centro da Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária, desde 2021
- Conferencista em diversos congressos nacionais e internacionais;
- Autor e Co-autor de vários trabalhos científicos apresentados em congressos nacionais e internacionais.

TPD Carlos Nicolai

- Licenciatura em Prótese Dentária pela Escola Superior de Saúde Egas Moniz, Almada
- Técnico de Prótese com 12 anos de experiência e coordenador do Laboratório de Prótese Dentária da Clínica Hugo Madeira, Lisboa

- Co-autor do trabalho «Desfechos Centrados no Paciente na reabilitação implanto‑suportada», um estudo de coorte apresentado no XLI Congresso Anual SPEMD 2021 que decorreu Online, do dia 07 ao dia 09 de outubro de 2021.
- Co-autor do trabalho «Sobrevivência de reabilitações totais imediatas digitais – série de casos prospetiva», no XLII Congresso Anual SPEMD 2022 que decorreu no Centro de Artes e Espetáculos - Figueira da Foz, do dia 13 ao dia 15 de outubro de 2022.
- Co-autor e vencedor do Prémio de Melhor Póster de Investigação com a apresentação científica «Qualidade de vida na reabilitação implanto-suportada. Estudo coorte único prospetivo baseado na prática clínica», no 30º Congresso da Ordem dos Médicos Dentistas

Preço

  • Sócio SPDOF

    60.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    80.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 20 pessoas
Modo de apresentação: Workshop teórico-prático
Duração: 4horas
Destinatários: Médicos e Médicos Dentistas (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

La etiología de la osteoartrosis (OA) sugiere ser multifactorial y se caracteriza por un proceso donde se ha alterado el balance normal entre la degradación y reparación del cartílago de la superficie articular, asociándose a fenómenos de destrucción del cartílago, sinovitis secundaria y remodelación del hueso subcondral, con fenómenos de neoformación (osteofitos) y de rarefacción ósea (quistes subcondrales).

La osteoartrosis es la causa más común de artritis de la ATM, presentando una clínica de características nociceptivas y mecánicas en forma de dolor y limitación funcional durante el movimiento mandibular, que suele remitir con el reposo articular.

Recientemente han aparecido nuevos enfoques terapéuticos farmacológicos  en el manejo de la osteoartrosis:

  • Drogas de acción lenta para los síntomas de la OA(Symptomatic Slow Action Drugs for Osteoarthritis - SYSADOA), como la Glucosamina y el Condroitín Sulfato, que son compuestos (nutracéuticos) capaces de modificar lentamente los síntomas de la artrosis mediante la mejora del equilibrio metabólico de la matriz extracelular del cartílago articular.
  • Drogas modificadoras de la enfermedad en la OA (Disease-Modifying OA Drugs – DMOADs) en forma de terapias infiltrativas intraarticulares con ácido hialurónico (viscosuplementación), factores de crecimiento autólogos, oxigeno-ozonoterapia o células madre, que intentan reparar y/o regenerar el cartílago articular mediante una acción más directa sobre el condrocito.

Se realizará un taller teórico-práctico de infiltraciones intraaticulares de la ATM con pacientes reales, en la que se aprenderá toda la sistemática clínica de preparación de los factores de crecimiento autólogos y se mostrará la técnica de infiltración. Se mostrarán sistemas optimizados de obtención de las muestras biológicas mediante Suero Acondicionado Autólogo  (Orthokine®), viendo las diferencias que hay con otros sistemas basados en el  Plasma Rico en Factores de Crecimiento (PRGF).

Apoio:

Formador

Dr. Jose Manuel Torres Hortelano

- Licenciado en Odontología por la Universidad Complutense de Madrid, 1993.
- Postgrado en Patología de la ATM por el Hospital General Universitario Gregorio Marañón de Madrid, 1993-1995.
- Certificate of training in Orofacial Pain. Internet Course Update: Orofacial Pain Beyond TMD. Rutgers School of Dental Medicine - New Jersey - USA, 1999
- Certificado como experto en Dolor Orofacial - Diplomado por el American Board de Dolor Orofacial, 2000 - abop.net
- Doctor “cum laude” en Odontología por la Universidad de Valencia, 2005 - https://www.educacion.gob.es/teseo/mostrarRef.do?ref=396747
- Experto en Ozonoterapia - Curso de Ozonoterapia en el Centro de Investigaciones del Ozono en Cuba, 2011.
- Experto en Medicina Dental del Sueño – Curso DENTAL SLEEP MEDICINE: A comprehensive introduction. School of Dental Medicine – Universidad de Tufts (Boston-USA), 2018
- Postgrado en Medicina del Sueño. Título Propio Universitario de Trastornos del Sueño para Médicos y Odontólogos de la Universidad del País Vasco, 2019-2021 (120 créditos ECTS) - https://www.ehu.eus/es/web/graduondokoak/master-trastornos-sueno-medicos-odontologos
- Certificado como experto en Medicina Dental del Sueño – Federación Española de Sociedades de Medicina del Sueño (FESMES), 2021
- Co-director del Curso de Formación Avanzada en Oclusión, Disfunción Craneomandibular, Dolor Orofacial y Medicina Oral del Sueño - formaciondolororofacial.es
- Conferenciante de los Cursos de Formación Continuada del Consejo General de Dentistas de España, 2016-2022.
- Profesor colaborador de los Cursos de Formación Continuada de la Sociedad Española de Disfunción Craneomandibular y Dolor Orofacial (SEDCYDO).
- Presidente de la XIV Reunión Anual de la SEDCYDO, 2003 - https://sedcydo.com/reuniones-anteriores
- Vocal de la Junta Directiva de la SEDCYDO, 2016-2019 - https://sedcydo.com/juntas-anteriores
- Presidente pasado de la SEDCYDO, 2019-2022 - https://sedcydo.com/juntas-anteriores
- Miembro de distintas sociedades relacionadas con el dolor y sueño: American Academy of Orofacial Pain (AAOP – miembro fellow), European Academy of Orofacial Pain and Dysfunction (EAOPD), Sociedad Española del Dolor (SED), Sociedad Española Multidisciplinar del Dolor (SEMDOR), Asociación Española de Profesionales Médicos en Ozonoterapia (AEPROMO), Sociedad Española de Ozonoterapia (SEOT), Sociedad Española de Medicina Dental del Sueño (SEMDeS) y Sociedad Española del Sueño (SES).
- Ha impartido cursos y conferencias sobre Disfunción Craneomandibular, Dolor Orofacial, Bruxismo y Medicina Oral del Sueño en España.
- Autor de varias publicaciones científicas en su campo.
 Practica exclusiva como experto en Trastornos Temporomandibulares, Dolor Orofacial y Medicina Oral del Sueño en Clínica Kranion de Alicante (clinicakranion.com) y en Clínica González-Alemán de Albacete  (www.ortodonciagonzalezaleman.com).

Preço

  • Sócio SPDOF

    125.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    150.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 50 pessoas
Modo: Teórico
Duração: 4horas
Destinatários: Todos os profissionais de saúde (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

9h00 - 9h45 - INTRODUÇÃO (Dr. Pedro Trancoso)
  • Definição 
  • Classificação
  • BMS primário e secundário. Síndrome , transtorno ou sintoma?
  • Epidemiologia
  • Caracterização clínica: sintomas, localização , sintomas no tempo, severidade e impacto , sintomas associados
  • Impacto na qualidade de vida 
9h45 - 10h25 - DIAGNÓSTICO (Prof. Dr Miguel de Pedo Herraez)
  • Etiologia e   Fisiopatologia
  • Saúde geral e comorbilidades
  • Diagnóstico
  • Diagnóstico diferencial 
10h25 - 10h50 - FATORES PSICOLÓGICOS (Dr. João Fonseca e Costa)
  • Introdução
  • Mecanismos propostos para explicar a influência dos fatores psicológicos  na fisiopatologia
  • Método do estudo
  • Caracterização psicológica dos doente com BMS
  • Caracterização cognitiva dos doentes com BMS
  • Caracterização alexitimica dos doentes com bms
  • Caracterização de personalidade dos doentes com bms
  • Influência clínica dos fatores psicológicos
  • Influência dos fatores psicológicos no tratamento e prognóstico 

10h50 - 11h20 - COFFEE BREAK

11h20 - 11h50 - TRATAMENTO CONVENCIONAL (Dr. Pedro Trancoso)

  • Educação do doente e terapia comportamental
  • Psicoterapia
  • Barreiras físicas
  • Tratamentos tópicos
  • Tratamento farmacológico:Benzodiazepines, Antidepressivos triciclicos, Antidepressivos dual, ISRS, Anticonvulsivantes, Antipsicoticos, Colinergicos, Suplementos alimentares: Ácido alfa lipoico, licopeno, Catuama, hipericão
  • Erros no tratamento 
11h50 - 12h15 - NOVAS TERAPIAS EM BMS (Dr Miguel de Pedo Herraez)
  • Fotobiomodulação, Radiação eletromagnética - laser baixa potência
12h15 - 12h35 - CASOS CLÍNICOS
12h35 - 13h00 - DISCUSSÃO E CONCLUSÕES FINAIS

Formadores

Prof. Doutor Pedro Trancoso

- Brevemente disponível

 

 

 

Dr. João Fonseca e Costa

- Brevemente disponível

 

 

 

 

 

Dr. Miguel de Pedro (ES)

- Vicepresidente de la Sociedad Española de Disfunción Craneomandibular y Dolor Orofacial (SEDCYDO).
- Doctor “cum laude” en Ciencias Odontológicas por la Universidad Complutense de Madrid.
- Licenciado en Odontología por la Universidad Complutense de Madrid
- Título Propio de Medicina Oral por la Universidad Complutense de Madrid
- Máster Oficial en Dolor Orofacial y Disfunción Craneomandibular por la Universidad San Pablo-CEU de Madrid
- Experto en Medicina Dental del Sueño por la Federación Española de Sociedades de Medicina del Sueño
- Práctica privada en dolor orofacial, disfunción craneomandibular, medicina oral y medicina dental del sueño en Madrid.
- Profesor ayudante doctor por ANECA
- Profesor de prácticas clínicas de Odontología en la Facultad de Ciencias Biomédicas de la Universidad Europea de Madrid
- Coordinador Prácticas Clínicas de Odontología en la Facultad de Ciencias Biomédicas de la Universidad Europea de Madrid.
- Coordinador de la asignatura Dolor Orofacial del Título Propio de Medicina Oral de la Facultad de Odontología de la Universidad Complutense de Madrid.
- Coordinador del itinerario de Odontología del Máster Oficial en Disfunción Craneomandibular y Dolor orofacial Universidad San Pablo-CEU (2016-2021)
- Miembro del grupo de interés especial en Dolor Neuropático y Cefaleas de la Sociedad Española de Disfunción Craneomandibular y Dolor Orofacial.
- Miembro del Grupo de Investigación ORALMED (Etiología, diagnóstico y tratamiento de la patología de la mucosa oral, los maxilares, las glándulas salivales y el dolor orofacial) 
- Autor principal y coautor de diversos artículos científicos sobre dolor orofacial, disfunción craneomandibular y medicina oral en revistas de impacto Q1 y Q2
- Ponente a nivel nacional e internacional.

Preço

  • Sócio SPDOF

    45.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    65.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 20 pessoas
Modo: Teórico-demonstrativo
Duração: 4horas
Destinatários: Médicos e Médicos dentistas (e respetivos estudantes)

Com o apoio de:

Conteúdos Programáticos

  • Brevemente disponível

Formadores

Dr. Giancarlo de la Torre Canales (PERU)

- Cirurgião dentista pela Universidade de San Martín de Porres, Lima-Perú.
- Mestre e Doutor em Clínica odontológica, área de concentração em Prótese Dentária, pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) FOP-Unicamp.
- Especialista em Prótese Dentária e Disfunção Temporomandibular/Dor Orofacial pela Universidade São Leopoldo Mandic.
- Pós Doutor em Reabilitação oral, na Universidade de São Paulo, USP-BAURU
- Membro da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica (SBPqO).
- Membro da Internacional Association for Dental Research (IADR).
- Membro da Internacional Association for the Study of Pain (IASP).
- Membro da International Neurotoxin Association

Preço

  • Sócio SPDOF

    125.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    150.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 20 pessoas
Modo: Teórico-demonstrativo
Duração: 3horas
Destinatários: Fisioterapeutas (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

This workshop is for physiotherapists who treat, or want to treat, patients with orofacial pain and/or headaches. It is important to be able to screen for the most important complaints and disorders, so the workshop will start with that. Using clinical reasoning with patient cases, the most important aspects of the diagnostic and therapeutic process will be discussed. The TMD-pain screener, headache screening questionnaire, and physical examination of the masticatory system and cervical spine will be discussed and practiced.

Formadores

Dr.ª Hedwig van der Meer [NL]

Orofacial physical therapist, lecturer, post-doctoral researcher and head of the master program Orofacial Physiotherapy. Specialized in headaches and jaw complaints and other orofacial disorders. Colorful personality, motivated and curious. Loves challenges and sharing knowledge.

Short Curriculum vitae:

  • Post-doctoral researcher ‘Interprofessional Collaboration Dentistry and Orofacial Physiotherapy’  in the Academic Center for Dentistry Amsterdam (2022 - ...)
  • Head of the master program ‘Orofacial Physiotherapy’ of the SOMT University of Physiotherapy (2021 - ...)
  • Orofacial Physical Therapist and lecturer in the Academic Center for Dentistry Amsterdam (2020 - ...)
  • Board member of the Science Committee for Physical Therapy (WCF) of the Royal Dutch Society for Physical Therapy (2017 - 2021)
  • Lecturer of the bachelor program in Physical Therapy at the Amsterdam University of Applied Sciences (2011 - 2022)
  • Physical Therapist by the Amsterdam University of Applied Sciences

Peer-reviewed publications:

  1. Kamonseki, D. H., Lopes, E. P., van der Meer, H. A., & Calixtre, L. B. (2020). Effectiveness of manual therapy in patients with tension-type headache. A systematic review and meta-analysis. Disability and Rehabilitation, 1–10. https://doi.org/10.1080/09638288.2020.1813817
  2. Lopes, E. P., Oliveira, A. B., Godoi Gonçalves, D. A., Aleida van der Meer, H., Visscher, C. M., Speksnijder, C. M., & Calixtre, L. B. (2022). Translation and cross-cultural adaptation of the Headache Screening Questionnaire into Brazilian Portuguese. Musculoskeletal Science and Practice, 102574. https://doi.org/10.1016/J.MSKSP.2022.102574
  3. van der Meer, Hedwig A., Doomen, A., Visscher, C. M., Engelbert, R. H. H., Nijhuis – van der Sanden, M. W., & Speksnijder, C. M. (2022). The Additional Value of e-Health for Patients with a Temporomandibular Disorder: a Mixed Methods Study on the Perspectives of Orofacial Physical Therapists and Patients. Disability and Rehabilitation: Assistive Technology, accepted for publication.  
  4. van der Meer, Hedwig A., Calixtre, L. B., Engelbert, R. H. H., Visscher, C. M., Nijhuis – van der Sanden, M. W., & Speksnijder, C. M. (2020). Effects of physical therapy for temporomandibular disorders on headache pain intensity: A systematic review. Musculoskeletal Science and Practice, 50, 102277. https://doi.org/10.1016/j.msksp.2020.102277
  5. van der Meer, Hedwig A., de Pijper, L., van Bruxvoort, T., Visscher, C. M., Nijhuis-van der Sanden, M. W. G., Engelbert, R. H. H., & Speksnijder, C. M. (2020). Using e-Health in the Physical Therapeutic Care Process for Patients with Temporomandibular Disorders: a Qualitative Study on the Perspective of Physical Therapists and Patients. Disability and Rehabilitation. https://doi.org/10.1080/09638288.2020.1775900
  6. van der Meer, Hedwig A., Speksnijder, C. M., Engelbert, R. H. H., Lobbezoo, F., Nijhuis-van der Sanden, M. W. G., & Visscher, C. M. (2017). The association between headaches and temporomandibular disorders is confounded by bruxism and somatic complaints. The Clinical Journal of Pain, 33(9), 835–843. https://doi.org/10.1097/AJP.0000000000000470
  7. van der Meer, Hedwig A., Visscher, C. M., Engelbert, R. H. H., Mulleners, W. M., Nijhuis – van der Sanden, M. W. G., & Speksnijder, C. M. (2017). Development and psychometric validation of the headache screening questionnaire – Dutch Version. Musculoskeletal Science and Practice, 31, 52–61. https://doi.org/10.1016/j.msksp.2017.07.001
  8. Van Der Meer, Hedwig A, Sheftel-Simanova, I., Cornelis, ·, Kan, C., & Trujillo, J. P. (2021). Translation, Cross-Cultural Adaptation, and Validation of a Dutch Version of the Actions and Feelings Questionnaire in Autistic and Neurotypical Adults. Journal of Autism and Developmental Disorders 2021, 1–7. https://doi.org/10.1007/s10803-021-05082-w
  9. van der Meer, Hedwig A, Visscher, C. M., Vredeveld, T., Nijhuis van der Sanden, M. W., HH Engelbert, R., & Speksnijder, C. M. (2019). The diagnostic accuracy of headache measurement instruments: A systematic review and meta-analysis focusing on headaches associated with musculoskeletal symptoms. Cephalalgia, 033310241984077. https://doi.org/10.1177/0333102419840777
  10. van der Meer, Hedwig Aleida, Bakke, M., Schytz, H. W., & Madsen, B. K. (2021). Validation of the Temporomandibular Disorder Pain Screener in a Specialized Headache Center. Journal of Oral & Facial Pain and Headache.
  11. van der Meer, Hedwig Aleida, Brusaca, L. A., Oliveira, A. B., Speksnijder, C. M., & Calixtre, L. B. (2021). Development of an automated tool to score the Headache Screening Questionnaire: agreement between automated and manual scoring. Musculoskeletal Science & Practice, accepted.
  12. van Selms, M. K. A., Wiegers, J. W., van der Meer, H. A., Ahlberg, J., Lobbezoo, F., & Visscher, C. M. (2020). Temporomandibular disorders, pain in the neck and shoulder area, and headache among musicians. Journal of Oral Rehabilitation, 47(2). https://doi.org/10.1111/joor.12886
  13. von Piekartz, H., Schwiddessen, J., Reineke, L., Armijo‐Olivio, S., Bevilaqua – Grossi, D., Biasotto Gonzalez, D., Carvalho, G., Chaput, E., Cox, E., Fernández‐de‐las‐Peñas, C., Gadotti, I., Gil Martínez, A., Gross, A., Hall, T., Hoffmann, M., Julsvoll, E., Karegeannes, M., La Touche, R., Mannheimer, J., … Ballenberger, N. (2020). International consensus on the most useful assessments used by physical therapists to evaluate patients with temporomandibular disorders: A Delphi study. Journal of Oral Rehabilitation, joor.12959. https://doi.org/10.1111/joor.12959

Preço

  • Sócio SPDOF

    65.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    85.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 10 pessoas
Modo: Teórico-prático
Duração: 4horas
Destinatários: Parte teórica aberta a todos os profissionais de Saúde. A parte prática é de exclusivo acesso a Médicos Cirurgiões Maxilofaciais (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

  • Brevemente disponível

Formadores

Prof. Dr. Florencio Monje Gil (ES)

- Head of Department of Oral and Maxillofacial Surgery University Hospital Infanta Cristina Badajoz, Spain.
- Professor of Surgery Department Medical School Badajoz, Spain
Head of CICOM ( Center for Implantology. Oral and Maxillofacial Surgery), Badajoz, Spain
President of FEDICOM (Foundation for Study and Development of Research in Implantology, Oral and Maxillofacial Surgery)
President of ESTMJS (European Society of Temporomandibular Joint Surgeons). 2014
President SECOM (Spanish Society of Oral and Maxillofacial Surgeons) 2018-2020

Author of several books:
Tratamiento quirúrgico de la Patologia de la Articulación Temporomandibular, Ed. Ripano, 2009
“Goya´s Painting and Dentofacial Deformities”. Ed. Planeta, 2009
“Surgical management of temporomandibular joint: Vol .1 Arthroscopy. Vol. 2 Open Joint Surgery”. I Tunes Store, 2014.
“The face diseased. 50 universal paintings to understand face and neck conditions”. Ed Art Visual, 2016

 

Apoio:

 

 

 

 

 

 

 

 

Inscrição apenas na Parte Teórica

  • Sócio SPDOF

    100.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    150.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Preço do Workshop completo

  • Sócio SPDOF

    200.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    300.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 20 pessoas
Modo: Teórico
Duração: 2horas e 30 minutos
Destinatários: Todos os profissionais de saúde (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

Os profissionais de saúde procuram responder às principais necessidades dos seus utentes, no sentido de promover o bem-estar físico e psicológico. Neste intento é comum debaterem-se com aspetos diversos que dificultam ou obstaculizam a eficácia da intervenção no processo de ajuda e tratamento, onde a adesão terapêutica fica comprometida tal como os aspetos psicossomáticos que agirão na manutenção do estado de sofrimento, físico e/ou emocional, assim como das disfunções associadas a esse sofrimento emocional, tal como é comum verificar-se na DTM E DOF.
Todo o processo de saúde e doença destes utentes se torna duplamente desgastante, seja para a pessoa em sofrimento físico e emocional como para o profissional que se depara com a frustração e impotência na resposta às necessidades do seu utente, e de ver o significativo incremento na promoção da saúde e remissão do sofrimento e disfuncionalidade associada que este apresenta.
Assim, numa relação recíproca entre causa e efeito, interessa aprofundar o conhecimento dos fatores psicossociais que escrevem a história e a narrativa de cada pessoa, seja na qualidade de risco como de proteção, diminuindo os primeiros e potenciando os segundos.
Neste processo de conhecimento e identificação dos referidos fatores é essencial envolver não só os profissionais de saúde física, mas também, e em parceria, os de saúde mental. Atuações organizadas de forma que, numa primeira ação, sejam sinalizados e diagnosticados os fatores psicossociais como stress/distress, ansiedade, sintomatologia depressiva, dinâmicas familiares e organização de vida pessoal, social e profissional. Depois, num aprofundamento desta avaliação, avaliar a presença de traços de personalidade mais complexos na forma de comunicar em contexto de saúde e doença, os quais vulnerabilizam a pessoa para a doença física e forma de lidar com esta, assim como de perturbações mentais (como personalidade, ansiedade e depressão entre outros); ou seja, no espectro de saúde e doença, estes diagnósticos manifestam critérios clínicos que traduzem intenso sofrimento emocional e significativa disfuncionalidade, influenciando a adaptação da pessoa à doença e ao seu processo de tratamento.
Perante estas condições de funcionalidade e sofrimento emocional, como a presença de quadros psicopatológicos e/ou contexto de vida comprometidos, os profissionais ficam em alerta e cabe-lhes organizar com o utente um protocolo de intervenção/tratamento, onde os fatores psicossociais terão de ser vistos como prioritários (na situação em que o perfil elaborado traduz um alerta vermelho) e/ou paralelas na sua abordagem física e psicossocial, em caso de alguns sinais não tão intensos mas que precisam os contornos de uma abordagem específica/ personalizada, efetivada por um profissional de saúde mental. Atuações e intervenções que deverão ser efetuadas numa multidisciplinaridade de intervenção, cada um na sua especificidade, e tratamento com foco nas limitações e nas forças da pessoa.

Por fim importa considerar a vertente do profissional e sua frustração e confronto com as limitações do que tem para oferecer, aspetos que também beneficiarão de trabalho conjunto com o psicólogo que intervém potenciando as suas competências ao nível da comunicação interpessoal, em termos da relação utente-profissional de saúde; e ainda da sua gestão emocional num apoio, suporte e reforço junto dos especialistas como o Médico Dentista, o Fisioterapeuta, o Terapeuta da Fala (assim como outras especialidades médicas ou outros profissionais de saúde envolvidos no processo), seja nas competências relacionais como na identificação de sinais de alerta, com consequente potenciação de sensibilização junto do utente para a consideração dos aspetos psicossociais e respetivo envolvimento do profissional de saúde mental no protocolo de intervenção terapêutica.

Tópicos para abordagem teórico-prática:

  • O conhecimento e lógica técnico-científica, com foco nas evidências da presença e papel dos aspetos psicossociais na problemática DTM DOF, dor crónica, adoecer corporal, saúde e doença mental.
  • Os riscos psicossociais e as forças ou fatores protetores.
  • Análise de casos concretos propostos pelos profissionais de saúde, com identificação de dificuldades suas e do utente: relacionais, comunicacionais, comportamentais, personalidade, estilo de coping, estado emocional clínico, diagnósticos de saúde física e mental – dificuldades sentidas e necessidades identificadas pelos profissionais e saúde.
  • Identificar, sinalizar, sensibilizar e avaliar – quem faz o quê? Papel de cada profissional e sua interação multidisciplinar: o que cada profissional efetiva em autonomia e a sua articulação com o que pode e deve desenvolver/potenciar, na parceria e articulação de atuações.
  • Organização de tópicos chave e de protocolo de atuação articulada.
  • Identificação de necessidade e formação de profissionais de saúde.

Formadores

Prof.ª Dr.ª Fátima Feliciano (PT)

- Doutorada e Pós-doutorada em Psicologia Clínica, Mestre em Psicologia da Educação, Licenciada em Psicologia Pré-Bolonha. 
- Especialista em Psicologia Clínica pelos HUC; Especialista-Supervisora das metodologias VIG/VHT. Especialista em Psicologia Clínica e da Saúde e em Psicologia da Educação pela Ordem dos Psicólogos Portugueses. Especialista Avançada em Intervenção Precoce, em Necessidades Educativas Especiais e em Neuropsicologia pela Ordem dos Psicólogos Portugueses. 
- Psicóloga clínica e da saúde (serviço nacional de saúde e clínicas privadas) - processos psicoterapêuticos, ao nível da saúde física e mental; psicoterapias breves; acompanhamento psicológico e avaliação psicológica e neuropsicológica. Responsável pela área de Psicologia da OrisClinic.
- Professora no Ensino Superior (Universitário: Coordenadora de Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde e em Educação Especial até 2015 – ISEIT/Piaget Viseu; Docente Psicologia UIFF 2014/2015; Politécnico IPCoimbra: ESEC -2000/2001; ESEnfC – 2017/2018, ESTeSC desde 2019 -presente). 
- Investigadora em projetos individuais e em projetos I&D e da FCG. Investigação aplicada e intervenção clínica, (populações com problemáticas ao nível do risco; doença crónica; família/parentalidade e vinculação); com publicações de livro, capítulos de livros e artigos científicos em revistas nacionais e internacionais. 
- Psicóloga Forense (Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses - INMLCF e tribunais). 
- Psicóloga da emergência e intervenção em crise (Equipas de Apoio Psicossocial-EAPS da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil -ANEPC). 
- Supervisora e orientadora da prática em psicologia clínica, de estagiários curriculares, de estágios profissionais da OPP e de profissionais de psicologia.

Preço

  • Sócio SPDOF

    40.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    60.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 50 pessoas
Modo: Teórico
Duração: 2horas
Destinatários: Todos os profissionais de saúde (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

Os sintomas clínicos da disfunção temporomandibular (DTM) são variados e podem incluir: click articular ou crepitação na articulação temporomandibular, dificuldade de abrir e fechar a boca e dor, podendo esta ser referida para diferentes regiões da cabeça, incluindo as regiões pré-auricular e auricular. Vários estudos sugerem uma associação entre sintomas otológicos e DTM. Os sintomas otológicos mais frequentemente relatados na literatura são os acufenos, a otalgia, a sensação de plenitude auricular, a perda de audição e a tontura. A associação destes sintomas acredita-se ser multifactorial, devido a relações anatómicas, neurofisiológicas e psicossociais. É de extrema importância nestes sintomas realizar um diagnóstico diferencial e um trabalho interdisciplinar com a otorrinolaringologia, que permita adotar a melhor abordagem terapêutica para cada pessoa. Pretendemos com este workshop abordar a evidência científica mais recente sobre os sintomas otológicos associados à DTM, apresentar a nossa prática clínica em relação ao diagnóstico e o trabalho de equipa realizado no tratamento destes pacientes.

Formadores

Prof.ª Dr.ª Haula Haider (PT)

Medical Education

- 1992 – Degree in Medicine - Faculty of Medicine, University of Lisbon
- 1999 – Completion of Otolaryngology (ENT) Internship - Hospital Pulido Valente (Final Grade: 18 points)
- 2019 – Degree of Doctor in Medicine in Specialty of Otorhinolaryngology with the thesis: Tinnitus, Biomarkers and Quality of life in an older Portuguese Population.

Medical Experience

 - ENT medical consultant at Hospital Cuf Tejo. Lisbon. Since 2000.
- 2000 - Responsible for Tinnitus consultation
- 2017 - Supervisor of Dr Ana Campos, ENT trainee of the 2nd year of specialization at Hospital Cuf Infante Santo

Scientific Work

- 2014 to 2018 – Co-Chair of clinical Working Group (WG) and Outcome WG member - MC Meeting TINNET - http://tinnet.tinnitusresearch.net
-
2020 – ENT Guest Assistant Teacher – Nova Medical School
- 2017 – Member of Jury at Master’s Examination of the licensed Mariana Aparício with the Thesis: Presbycusis patterns in the Portuguese population: association and identification with genetic and epidemiological factors. At FCUL.
- 2020 – Co-Guest Editor of Special Issue "Tinnitus Subtyping"
- 2021 – Guest Editor for Hear and Hearing and Frontiers in Neurology
- 1998 – 3rd PRYZE “POSTERS” “Rosai-Dorfmann disease, concerning two cases”
- 1999 – 1st PRYZE - Review Articles Award with: "TINNITUS - A NEW THERAPEUTICAL SOLUTION?". Journal of the Portuguese Society of Otolaryngology and CFS, June 1998, Vol 36, nº 2, p.83-92.
- 1999 – 1st PRYZE - Review Articles Award with: "Laryngo-tracheal stenoses, Lisbon IPOFG experience", Journal of the Portuguese Society of Otolaryngology and CFS, December 1998, Vol 36, nº 4, p.265-. 276.
- 2000 – 1st PRYZE - Best Rhinology paper: "Cefuroxime penetration in sinus mucosa chronically inflamed."
- 2001 – 1st PRYZE - Best Video: Endoscopic decompression of the optic nerve in post-traumatic blindness.

Prof.ª Dr.ª Paula Moleirinho Alves (PT)

- Licenciada em Fisioterapia, Mestre em Neurologia e Doutorada em Comportamento Motor.
- Pós-graduação em fisiopatologia do sistema crâneo-mandibular-cervical e dor facial, e em Oclusão, DTM e Dor Orofacial.
- Professora Adjunta da Escola Superior de Saúde Egas Moniz
- Coordenadora de Estágios da Licenciatura em Fisioterapia da ESSEM
- Membro Integrado do Centro de Investigação Interdisciplinar Egas Moniz
- Publicações científicas, comunicações e pósteres em congressos nacionais e internacionais
- Prática Privada exclusiva na área da Disfunção Temporomandibular

Preço

  • Sócio SPDOF

    40.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    60.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 20 pessoas
Modo: Teórico-demonstrativo
Duração: 4horas
Destinatários: Médicos e Médicos Dentistas (e respetivos estudantes)

Com o apoio de:

Conteúdos Programáticos

O nosso workshop visa capacitar os médicos dentistas a conhecerem os diferentes materiais e técnicas que existem para a confeção de um protector bucal.
Dar o conhecimento para saberem construir por laminação uma protecão diferenciada para cada desporto e atleta e que permita diminuir qualquer inconveniente que as mesmas possam causar aos atletas/pacientes durante o seu uso.
Queremos também alertar para a prevenção que o uso de um protector bucal poder ter na prevenção de traumas orofaciais.

Formadores

Dr. André Júdice (PT)

- Médico dentista formado na Egas Moniz School of Health and Science, responsável pelo departamento de medicina dentária desportiva Egas Moniz desde 2017
- Licenciado em Protese dentária na Egas Moniz School of Health and Science.
- Membro do Grupo de Avaliação Física e Funcional Egas Moniz (GAFFEM) do centro de investigação interdisciplinar Egas Moniz (Ciiem)
- Membro Da Triagem e Urgência da Clínica dentária Egas Moniz
- Coordenador da Comissão Constitutiva das Competências Setoriais em Medicina Dentária desportiva pela Ordem Medicos dentistas
- Membro da EUROPEAN ASSOCIATION FOR SPORTS DENTISTRY

Dr. Daniel Ferreira (PT)

- Equipa Medicina Dentária Desportiva desde 2020 (Instituto Universitário Egas Moniz)
-Pós-graduação em Odontopediatria (Odontopediatria Know-How) 2022 — 2022
- Mestrado integrado Medicina Dentária 2015 — 2020 (Instituto Universitário Egas Moniz)
- Pós-graduação Endodontia 2020 — 2020 (Instituto Universitário Egas Moniz)
- Pós-graduação Ortopedia Funcional dos Maxilares 2019 — 2019 (Instituto Europeu Wilma Simões)
- Licenciatura em Prótese Dentária 2005 — 2006 (ESSEM Escola Superior de Saúde Egas Moniz)
- Bacharelato em Prótese Dentária 2001 — 2005 (ESSEM Escola Superior de Saúde Egas Moniz)

Preço

  • Sócio SPDOF

    60.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    80.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

Vagas: 20 pessoas
Modo: Teórico-prático
Duração: 4horas
Destinatários: Todos os profissionais de sáude (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

O sistema estomatognático apresenta diversas estruturas que desempenham um papel importante nas funções: sucção, mastigação, deglutição, respiração e articulação da fala.

O desenvolvimento adequado dessas funções vai favorecer todo o processo de crescimento em termos musculares e esqueléticos. Assim, é necessário assegurar um bom desenvolvimento da respiração, da sucção, da mastigação, da deglutição e da fala.

A interdisciplinaridade entre o médico dentista (ortodontia) e a terapia da fala é muito importante, dado que o ortodontista tem a possibilidade de alterar a disposição das estruturas esqueléticas e dentárias, enquanto a terapia da fala trabalhará na reabilitação miofuncional oral.

Formadores

Dr.ª Cristina Mourinho (PT)

- Licenciatura em Medicina Dentária, Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa, 2002
- Título de especialista em Odontopediatria pela OMD
- Pós-graduação em Ortodontia - Gnathos, 2006-2008
- Pós-graduação de Ortodontia e Ortopedia Facial - Dr. Eduardo Prado 2009-2012
- Curso de sedação consciente - Lx Clinic Oral Centre
- Curso de Odontopediatria - Sorriso Natural 2016
- Curso de Odontopediatria - Espaço Fisio 2010
- Invisalign Masterclass 2015-2018
- Invisalign Teen Masterclass, 2018
- Pós-graduação baseada na Técnica Invisalign, Faculdade Egas Moniz, 2018
- Curso RNO - Tratamento em Pacientes em crescimento de Esmeralda Herrero, 2020

Dr.ª Luísa Bandeira Lopes (PT)

- Licenciatura em Medicina Dentária, no Instituto Superior de Ciências de Saúde - Sul, 2000/2001 (Ordem dos Médicos Dentistas nº 3706)
- Diploma de Estudos Avançados, Universidade de Barcelona, Julho 2005
- Doutoramento Europeu pela Universidade de Barcelona, Abril 2008
- Professora Auxiliar no Instituto Universitário Egas Moniz - Departamento de Odontopediatria
- Especialista em Odontopediatria pela OMD
- Autora de trabalhos /publicações nacionais e internacionais
- Membro ativo da Sociedade Portuguesa de Odontopediatria
- Área Científica: Odontopediatria e Pacientes com necessidades especiais

Dr.ª Filipa Cordeiro (PT)

- Licenciatura em Medicina Dentária, Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa, 2005
- National Course in Conscious Sedation, (SAAD, London), 2009
- Pós-graduação Clínica em Odontopediatria, ISCEM, 2011
- Curso de Sedação Consciente (Lxclinic), 2013
- Curso de Ortopedia Funcional dos Maxilares e Pistas Diretas (IIMDS), 2015
- Curso de Odontopediatria (ICMDS), 2016
- Curso de Ortopedia Funcional dos Maxilares (Instituto WSEI), 2019

Dr.ª Marta Homem de Mello (PT)

- Licenciatura em Fonoaudiologia, Universidade Estácio de Sá (Rio de janeiro, Brasil), 1987
- Mestrado em Motricidade Orofacial e Deglutição, Escola Superior de Saúde do Alcoitão, 2020
- Terapeuta da Fala/ Terapeuta Miofuncional em Consultório - Lisboa/ Cascais/Lagoa (Algarve)

- Terapeuta da Fala/ Terapeuta Miofuncional no Colégio O Papião/ Salesianos do Estoril

 

Preço

  • Sócio SPDOF

    45.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Não Sócios SPDOF

    65.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.

[Sexta-feira] 19 de Maio

A importância do diagnóstico do desgaste dentário : Noções de Reabilitação em dentes desgastados

Desgaste dentário fisiológico é comum em sociedades modernas, uma vez que o desenvolvimento e generalização de medidas preventivas de saúde oral permite a manutenção da dentição natural por mais anos. A etiologia multifatorial do desgaste e dificuldades na deteção dos primeiros sinais, tornam a gestão desta condição complicada para os médicos dentistas. Na ausência de medidas preventivas, a sua progressão para desgaste patológico pode levar, em alguns pacientes, a hipersensibilidade, perda de dimensão vertical de oclusão, problemas estéticos e funcionais, e reabilitações extensas e dispendiosas. Embora a maior parte dos pacientes procure tratamento por questões estéticas, dificuldades de mastigação são frequentemente reportadas aquando da anamnese detalhada, sendo uma melhoria na eficácia de mastigação percecionada quando lesões generalizadas de desgaste são restauradas. Foi encontrada uma associação significativa entre o grau de desgaste dentário e a auto perceção de qualidade de vida, estando níveis elevados de desgaste associados a um maior impacto da saúde oral no dia a dia dos pacientes.

Esta apresentação foca nos aspetos a considerar para a realização de um diagnóstico precoce do desgaste dentário, realçando as medidas necessárias para a sua prevenção e gestão clínica, bem como nas diferentes abordagens de reabilitação.

Dr. João Rua [PT] Medicina Dentária

- Brevemente disponível.

Prof.ª Dr.ª Ana Vieira [PT] Medicina Dentária

- Ana Vieira formou-se em Engenharia Química (1998) e Medicina Dentária (2003) pela Universidade de Groningen, nos Países Baixos. Doutorou-se em Ciências Médicas pela mesma universidade em 2006, onde foi Professora Assistente entre 2006 e 2010
- Foi investigadora postdoc no Departamento de Odontopediatria e Cuidados Especiais da Universidade de Ghent, na Bélgica, entre 2007 e 2008.
- Actualmente é Professora Associada na Egas Moniz School of Health and Science, e pratica clínica privada como médica dentista generalista.
- É membro da Comissão Pedagógica do Mestrado Integrado em Medicina Dentária da Egas Moniz School of Health and Science e da  European Organisation for Caries Research – ORCA.
- É autora de várias publicações em revistas científicas internacionais.

Brevemente disponível.

MESA INTERDISCIPLINAR - Abordagem da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono na Criança - qual o papel do Pediatra?

Brevemente disponível.

Dr.ª Rosário Ferreira [PT] Pediatria

- Assistente hospitalar graduada de Pediatria no Hospital de Santa Maria-CHLN, onde é responsável pelo Laboratório e Consulta Pediátrica do Sono.
- Mestre em Medicina de Sono pela Faculdade de Medicina de Lisboa.
- Competência em Medicina do Sono pela Ordem dos Médicos.
- Assistente Convidada da Faculdade de Medicina de Lisboa.
- Membro da direção da Sociedade Portuguesa de Pneumologia Pediátrica.
- Autora de cerca de 20 artigos, publicados em revistas nacionais e internacionais e de cerca de 100 comunicações em reuniões científicas, na área da Pneumologia e da Patologia do Sono Pediátricas.

MESA INTERDISCIPLINAR - Abordagem da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono na Criança - qual o papel do Otorrinolaringologista?

Brevemente disponível.

Dr.ª Joana Vaz Castro [PT] Otorrinolaringologia

- Brevemente disponível.

MESA INTERDISCIPLINAR - Abordagem da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono na Criança - qual o papel do Médico Dentista?

O sono é um processo fisiológico indispensável para o crescimento e desenvolvimento adequados do indivíduo. Os distúrbios obstrutivos da respiração durante o sono em crianças podem oscilar em índice de  severidade por episódios simples de roncopatia até ao diagnóstico de síndrome de apneia obstrutiva do sono (SAOS). Na infância e adolescência, os distúrbios respiratórios do sono resultam de uma interação complexa de fatores neuromusculares, inflamatórios e anatómicos em que a hipertrofia amigdalina e adenoideia, a obesidade e as dismorfias dentofaciais apresentam elevados níveis de associação. Os sintomas clínicos diurnos e noturnos são múltiplos, afetam a qualidade de vida das crianças e dos seus pais e devem ser reconhecidos pelas diversas especialidades médicas que interagem com crianças. Desta forma, a Medicina Dentária, com especial relevância para as áreas da Odontopediatria e Ortodontia, apresentam um papel importante no rastreio e/ou diagnóstico desta patologia. Esta apresentação visa, primordialmente, evidenciar o contributo da Ortodontia na intervenção terapêutica indicada em alguns casos de crianças que apresentam distúrbios obstrutivos da respiração durante o sono.

 

Prof.ª Doutora Alexandra Vinagre [PT] Ortodontia

- Médica Dentista (OMD 2218). Licenciatura em Medicina Dentária pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), 1998.
-
Assistente convidada da disciplina de Dentisteria Operatória, na Área de Medicina Dentária da FMUC.
-
Pós-graduação em Ortodontia pelo Departamento de Medicina Dentária, Estomatologia e Cirurgia Maxilo-Facial da FMUC, 2003.
-
Provas de Aptidão Pedagógica e Científica pelo Departamento de Medicina Dentária, Estomatologia e Cirurgia Maxilo-Facial da FMUC, 2006.
-
Doutoramento em Ciências da Saúde (Dentisteria Operatória) pela FMUC, Setembro, 2014.
-
Especialista em Ortodontia pela OMD, Junho 2015.

MESA INTERDISCIPLINAR - Abordagem da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono na Criança - qual o papel do Terapeuta da Fala?

A intervenção por meio da Terapia Miofuncional Orofacial é uma das possibilidades de atuação na apneia obstrutiva do sono, quando existem alterações das estruturas e funções do sistema estomatognático, mais propriamente nos músculos da região orofacial e faríngea. A intervenção através da Terapia miofuncional orofacial irá promover mudanças favoráveis nos músculos da via aérea superior, de acordo com recentes publicações científicas.
A Terapia Miofuncional Orofacial pode, e deve, ser combinada a outras modalidades de intervenção na roncopatia e apneia obstrutiva do sono, promovendo uma adesão e resposta mais diferenciadas ao(s) tratamento(s) principal(ais).
É de importância fundamental que uma seleção criteriosa dos candidatos à Terapia Miofuncional Orofacial seja realizada tanto pelo profissional especialista em Medicina do Sono quanto pelo Terapeuta da Fala, favorecendo o sucesso da intervenção proposta.

Dr. Ricardo Santos [PT] Terapia da Fala

- Licenciado em Terapia da Fala. Mestre em Ciências da Fala e da Audição. Especialista em Terapia e Reabilitação. Terapeuta da Fala no Hospital Privado da Trofa, SA e no Serviço de ORL do Hospital CUF, Porto.
- Professor Adjunto Convidado do Curso do Mestrado em Terapia da Fala na Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto.
- Docente convidado em Mestrados e Pós-Graduações nas áreas da Motricidade Orofacial, Ortodontia e Cirurgia Ortognática em Universidades nacionais e internacionais.
- Apresentações orais em eventos científicos nacionais e internacionais, na área da motricidade orofacial.
- Publicações em revistas científicas e em livros de resumos de congressos. Revisor Convidado de Revistas Científicas.
- Quatro prémios de Mérito Científico na área da Motricidade Orofacial.
- Membro da Comissão Científica da Sociedade Portuguesa de Dor Orofacial e Disfunção Temporomandibular (SPDOF)
- Membro Fundador e Honorário da Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala (SPTF)

MESA INTERDISCIPLINAR -  Desafios cirúrgicos no tratamento de SAOS em idade pediátrica

A Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono na criança abrange muitas particularidades e um leque variado de etiologia desde causas benignas simples até aos mais variados síndromes malformativos.

A autora apresenta essas singularidades assim como os desafios cirúrgicos encontrados no tratamento dessa patologia pediátrica.

Dr.ª Sandra Ferreira [PT] Cirurgia Maxilofacial

- Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC).
- Especialista em Cirurgia Maxilo-Facial
- Pós graduada em Técnicas de Microcirurgia, pela Universidade Claude-Bérnard – Lyon, França.
- Médica “Attachée” de Cirurgia Maxilo-Facial, com visitas semestrais ao Hôpital de La Croix-Rousse e Hospices Civiles de Lyon, França.
- Assistente Hospitalar Graduada no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, onde presta assistência no bloco operatório, consultas e enfermaria de Cirurgia Maxilo-Facial, bem como no Serviço de Urgência. É orientadora de formação de médicos internos. É responsável pela área de Cirurgia Maxilo-Facial Pediátrica.
- Presidente da Mesa de Assembleia da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Maxilo-Facial (SPCMF)
- Membro da European Association for Cranio-Maxillo-Facial Surgery (EACMFS)
- Autora e co-autora de múltiplas publicações nacionais e internacionais no âmbito da especialidade.

MESA INTERDISCIPLINAR - Patologia Obstrutiva do Sono no Adulto

Contributo da Pneumologia

Brevemente disponível.

Dr.ª Vânia Caldeira [PT] Pneumologia

- Brevemente disponível.

MESA INTERDISCIPLINAR - Patologia Obstrutiva do Sono no Adulto

Contributo da Medicina Dentária

Nos últimos anos, os transtornos do sono em geral e a síndrome de apneia obstrutiva do sono, em particular, têm gerado uma crescente atenção e dedicação por parte da comunidade médica, assim como por parte dos médicos dentistas.

Os médicos dentistas têm uma posição privilegiada para o rastreio desta patologia e devem estar preparados para fazer o adequado encaminhamento dos pacientes assim como o tratamento dos mesmos em casos selecionados nomeadamente com dispositivos orais.

Neste painel multidisciplinar podemos conhecer as perspetivas dos vários profissionais envolvidos.

Dr.ª Gabriela Videira [PT] Medicina Dentária

- Licenciada em Medicina Dentária pelo ISCS – SUL em 1999
- DEA – Diploma de estudos avançados pela Universidade Complutense de Madrid em 2003
- Especialista em Periodontologia pela Ordem dos Médicos Dentistas
- Pós- graduação internacional em Disfunção Temporo-Mandibular e Dor Orofacial , Faculdade de Sete Lagoas
- Coordenadora Clinica da Medicina Dentária das Unidades do Sul da Luz Saúde
- Diretora de serviço de Medicina Dentária do HL-Lisboa, Oeiras.
- Coordenadora da Secção do Sono da SPDOF (Sociedade Portuguesa de Disfunção temporomandibular, Dor Orofacial e Sono)
- Membro da European Academy of Dental Sleep Medicine (EADSM)
- Pratica privada exclusiva em Periodontologia, DTM , DOF e Medicina Dentária do Sono

MESA INTERDISCIPLINAR - Abordagem da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono no Adulto. Qual o papel do Fisioterapeuta?

A SAOS é um relevante problema de saúde com forte impacto na qualidade de vida dos doentes. Atualmente, a sua elevada prevalência faz com que seja um grande desafio de saúde pública que só poderá ser gerido por uma equipa de profissionais que ofereça uma resposta multi e interdisciplinar.
Na conferência, iremos abordar o papel do Fisioterapeuta, enquanto membro da equipa multidisciplinar, que intervém de forma personalizada e centrada na pessoa com SAOS. As estratégias de intervenção são variadas, dependem de uma criteriosa avaliação e passam, por exemplo, pela educação sobre a condição, pela adaptação dos doentes aos dispositivos de avanço mandibular e pela promoção da atividade física e do exercício. Curioso sobre a forma como este elemento da equipa pode ajudar a alcançar resultados promissores? Até breve!

Dr.ª Filipa Ricardo [PT] Fisioterapia

- Fisioterapeuta Licenciada pela Escola Superior de Saúde Atlântica – Universidade Atlântica
- Mestre em Exercício e Bem-Estar – Universidade Lusófona Humanidades e
Tecnologias
- Mestre em Terapia Miofuncional - Instituto Superior de Estudos Psicológicos, Madrid
- Pós-graduação Internacional em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial - Universidade de Belo Horizonte, Brasil.
- Pós-graduação em Fisiopatologia do Sistema Músculo-Esquelético Crânio-Cervical, Crânio-Mandibular e Dor Orofacial - Universidad Andrés Bello, Chile
- Docente na Escola Superior de Saúde Atlântica – Universidade Atlântica
- Prática Clínica exclusiva em Dor Orofacial, Disfunção Temporomandibular e Sono

MESA INTERDISCIPLINAR - Cirurgia Extrafaríngea para o Tratamento da Apneia Obstrutiva do Sono

A Cirurgia para a Apneia Obstrutiva do Sono tem evoluído a passos largos nos últimos anos, apresentando-se como alternativa ou complemento aos tratamentos convencionais. Existem várias formas de agrupar as cirurgias disponíveis, sendo uma delas a divisão entre procedimentos intrafaríngeos e extrafaríngeos. Os tratamentos extrafaríngeos, como a cirurgia esquelética e a estimulação do nervo hipoglosso fazem parte da área de atuação da Cirurgia Maxilofacial e têm demonstrado resultados consistentes e altas taxas de sucesso. Nesta apresentação serão abordados os critérios de seleção para estes procedimentos, técnicas cirúrgicas e resultados terapêuticos, assim como as suas principais limitações e desafios.

Dr. Pedro Oliveira [PT] Cirurgia Maxilofacial

- (2007-2013) Mestrado Integrado em Medicina pela Nova Medical School – Faculdade de Ciências Médicas da Universidade NOVA de Lisboa
- (2015-2020) Internato Médico de Formação Especializada em Cirurgia Maxilofacial no Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central
- (2021) Especialista em Cirurgia Maxilofacial pela Ordem dos Médicos
- (2022) Fellow do European Board of Oral and Maxillofacial Surgery
- (2016-2018) Pós-gradução em Investigação Clinica, Harvard Medical School e FCT
- (2020) Pós-graduação em Cirurgia Ortognática e Ortodontia Cirurgia, Universidade Internacional de Catalunya
Atividade Assistencial
- Assistente Hospitalar de Cirurgia Maxilofacial no Centro Hospitalar
Universitário de Lisboa Central, desde Agosto 2021
- (2021 - ) Cirurgião Maxilofacial com prática privada
- (2018 – 2022) Docente afiliado da Unidade Curricular de Especialidades Médico-cirúrgicas do Mestrado Integrado em Medicina da NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas da Universidade NOVA de Lisboa
- (2018) Estágio Clínico em Cirurgia Ortognática na Clínica Alemana de Santiago do Chile, sob a tutoria do Dr. Julio Cifuentes,
- (2022) Estágio Clínico no Instituto Maxilofacial em Barcelona, sob a tutoria do Prof. Hernandez-Alfaro.
- (2022) Estágio Clínico em Cirurgia do Sono no Serviço de ORL-Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital Universitário de Stanford, EUA, sob a tutoria do Prof. Stanley Liu.
Atividade Científica
- Autor e co-autor de diversas publicações em revistas nacionais e internacionais com arbitragem científica (ORCID 0000-0002-5325-1474)
- Membro da Associação Europeia de Cirurgia Cranio-maxilofacial (EACMFS), da Sociedade Espanhola de Cirurgia Maxilofacial, Cabeça e Pescoço (SECOMCyC) e da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Maxilofacial

[Sábado] 10 de Março

Update on Temporomandibular Disorders

Brevemente disponível.

Steven Bender, DDS [EUA] Medicina Dentária

Dr. Bender is a Clinical Associate Professor at Texas A&M School of Dentistry in Dallas Texas and serves as the director of the Clinical Center for Facial Pain and Sleep Medicine, Texas A&M Health, Dallas, TX. He is a Diplomate of the American Board of Orofacial Pain and has earned Fellowships in the American Academy of Orofacial Pain, the American Headache Society, the International Academy of Oral Oncology and the American College of Dentists. He earned his Doctor of Dental Surgery degree from Baylor College of Dentistry in Dallas, Texas in 1986 and practiced general and restorative dentistry in Plano, TX. From 1998-2000, he studied orofacial pain and temporomandibular disorders at the Parker E Mahan Facial Pain Center at the University of Florida College of Dentistry, Gainesville Florida.

From 2000-2015, Dr. Bender maintained a private practice limited to orofacial pain and sleep disorders before becoming a full-time faculty member at the School of Dentistry in 2016. He is a past president of the American Academy of Orofacial Pain as well as the Fourth District Dental Society of Texas and the Dallas Academy of General Dentistry.

Temporomandibular Disorders and Headaches: Two Pains, One Face and a Multidisciplinary Treatment Approach

TMD and headache are comorbid complaints, and understanding the relationship of these complaints can help orofacial pain specialists such as specialized dentists and physiotherapists improve the diagnostic and therapeutic process. Therefore, this lecture will first discuss the relationship between these disorders and what factors play a role in this relationship. Then, the diagnostic process will briefly be discussed. Finally, the role of the specialized physiotherapist ais described and recommendations for multidisciplinary treatment are made.

Dr.ª Hedwig van der Meer [NL] Fisioterapia

Orofacial physical therapist, lecturer, post-doctoral researcher and head of the master program Orofacial Physiotherapy. Specialized in headaches and jaw complaints and other orofacial disorders. Colorful personality, motivated and curious. Loves challenges and sharing knowledge.

Short Curriculum vitae:

  • Post-doctoral researcher ‘Interprofessional Collaboration Dentistry and Orofacial Physiotherapy’  in the Academic Center for Dentistry Amsterdam (2022 - ...)
  • Head of the master program ‘Orofacial Physiotherapy’ of the SOMT University of Physiotherapy (2021 - ...)
  • Orofacial Physical Therapist and lecturer in the Academic Center for Dentistry Amsterdam (2020 - ...)
  • Board member of the Science Committee for Physical Therapy (WCF) of the Royal Dutch Society for Physical Therapy (2017 - 2021)
  • Lecturer of the bachelor program in Physical Therapy at the Amsterdam University of Applied Sciences (2011 - 2022)
  • Physical Therapist by the Amsterdam University of Applied Sciences

Peer-reviewed publications:

  1. Kamonseki, D. H., Lopes, E. P., van der Meer, H. A., & Calixtre, L. B. (2020). Effectiveness of manual therapy in patients with tension-type headache. A systematic review and meta-analysis. Disability and Rehabilitation, 1–10. https://doi.org/10.1080/09638288.2020.1813817
  2. Lopes, E. P., Oliveira, A. B., Godoi Gonçalves, D. A., Aleida van der Meer, H., Visscher, C. M., Speksnijder, C. M., & Calixtre, L. B. (2022). Translation and cross-cultural adaptation of the Headache Screening Questionnaire into Brazilian Portuguese. Musculoskeletal Science and Practice, 102574. https://doi.org/10.1016/J.MSKSP.2022.102574
  3. van der Meer, Hedwig A., Doomen, A., Visscher, C. M., Engelbert, R. H. H., Nijhuis – van der Sanden, M. W., & Speksnijder, C. M. (2022). The Additional Value of e-Health for Patients with a Temporomandibular Disorder: a Mixed Methods Study on the Perspectives of Orofacial Physical Therapists and Patients. Disability and Rehabilitation: Assistive Technology, accepted for publication.  
  4. van der Meer, Hedwig A., Calixtre, L. B., Engelbert, R. H. H., Visscher, C. M., Nijhuis – van der Sanden, M. W., & Speksnijder, C. M. (2020). Effects of physical therapy for temporomandibular disorders on headache pain intensity: A systematic review. Musculoskeletal Science and Practice, 50, 102277. https://doi.org/10.1016/j.msksp.2020.102277
  5. van der Meer, Hedwig A., de Pijper, L., van Bruxvoort, T., Visscher, C. M., Nijhuis-van der Sanden, M. W. G., Engelbert, R. H. H., & Speksnijder, C. M. (2020). Using e-Health in the Physical Therapeutic Care Process for Patients with Temporomandibular Disorders: a Qualitative Study on the Perspective of Physical Therapists and Patients. Disability and Rehabilitation. https://doi.org/10.1080/09638288.2020.1775900
  6. van der Meer, Hedwig A., Speksnijder, C. M., Engelbert, R. H. H., Lobbezoo, F., Nijhuis-van der Sanden, M. W. G., & Visscher, C. M. (2017). The association between headaches and temporomandibular disorders is confounded by bruxism and somatic complaints. The Clinical Journal of Pain, 33(9), 835–843. https://doi.org/10.1097/AJP.0000000000000470
  7. van der Meer, Hedwig A., Visscher, C. M., Engelbert, R. H. H., Mulleners, W. M., Nijhuis – van der Sanden, M. W. G., & Speksnijder, C. M. (2017). Development and psychometric validation of the headache screening questionnaire – Dutch Version. Musculoskeletal Science and Practice, 31, 52–61. https://doi.org/10.1016/j.msksp.2017.07.001
  8. Van Der Meer, Hedwig A, Sheftel-Simanova, I., Cornelis, ·, Kan, C., & Trujillo, J. P. (2021). Translation, Cross-Cultural Adaptation, and Validation of a Dutch Version of the Actions and Feelings Questionnaire in Autistic and Neurotypical Adults. Journal of Autism and Developmental Disorders 2021, 1–7. https://doi.org/10.1007/s10803-021-05082-w
  9. van der Meer, Hedwig A, Visscher, C. M., Vredeveld, T., Nijhuis van der Sanden, M. W., HH Engelbert, R., & Speksnijder, C. M. (2019). The diagnostic accuracy of headache measurement instruments: A systematic review and meta-analysis focusing on headaches associated with musculoskeletal symptoms. Cephalalgia, 033310241984077. https://doi.org/10.1177/0333102419840777
  10. van der Meer, Hedwig Aleida, Bakke, M., Schytz, H. W., & Madsen, B. K. (2021). Validation of the Temporomandibular Disorder Pain Screener in a Specialized Headache Center. Journal of Oral & Facial Pain and Headache.
  11. van der Meer, Hedwig Aleida, Brusaca, L. A., Oliveira, A. B., Speksnijder, C. M., & Calixtre, L. B. (2021). Development of an automated tool to score the Headache Screening Questionnaire: agreement between automated and manual scoring. Musculoskeletal Science & Practice, accepted.
  12. van Selms, M. K. A., Wiegers, J. W., van der Meer, H. A., Ahlberg, J., Lobbezoo, F., & Visscher, C. M. (2020). Temporomandibular disorders, pain in the neck and shoulder area, and headache among musicians. Journal of Oral Rehabilitation, 47(2). https://doi.org/10.1111/joor.12886
  13. von Piekartz, H., Schwiddessen, J., Reineke, L., Armijo‐Olivio, S., Bevilaqua – Grossi, D., Biasotto Gonzalez, D., Carvalho, G., Chaput, E., Cox, E., Fernández‐de‐las‐Peñas, C., Gadotti, I., Gil Martínez, A., Gross, A., Hall, T., Hoffmann, M., Julsvoll, E., Karegeannes, M., La Touche, R., Mannheimer, J., … Ballenberger, N. (2020). International consensus on the most useful assessments used by physical therapists to evaluate patients with temporomandibular disorders: A Delphi study. Journal of Oral Rehabilitation, joor.12959. https://doi.org/10.1111/joor.12959

Toxina Botulínica em DTM e nas Cefaleias

Brevemente disponível.

Dr. Giancarlo de la Torre [PERU] Medicina Dentária

-Cirurgião dentista pela Universidade de San Martín de Porres, Lima-Perú.
- Mestre e Doutor em Clínica odontológica, área de concentração em Prótese Dentária, pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) FOP-Unicamp.
-Especialista em Prótese Dentária e Disfunção Temporomandibular/Dor Orofacial pela Universidade São Leopoldo Mandic.
- Pôs Doutor em Reabilitação oral, na Universidade de São Paulo, USP-BAURU
- Membro da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica (SBPqO).
- Membro da Internacional Association for Dental Research (IADR).
- Membro da Internacional Association for the Study of Pain (IASP).
- Membro da International Neurotoxin Association

Exercício aeróbio e exercício terapêutico em DTM

A fisioterapia é uma das abordagens conservadoras utilizadas no tratamento das DTM, desempenhando um papel relevante no controlo/eliminação dos sintomas apresentados pelos pacientes. Dispõe de diversas estratégias de intervenção, entre as quais se incluem os exercícios terapêuticos, cujos objectivos visam aumentar a mobilidade da ATM e/ou dos músculos da mandíbula através de movimentos controlados da mandíbula, técnicas de contração-relaxamento, mobilizações articulares, mobilização de tecidos moles e alongamento. Estudos experimentais têm verificado que o exercício reduz a sensibilidade a estímulos dolorosos em indivíduos saudáveis, fenómeno designado de analgesia induzida ou hipoalgesia induzida pelo exercício. De entre os diversos tipos de exercícios investigados, o exercício aeróbio de elevada intensidade foi um dos que conduziu a efeitos de hipoalgesia de maior dimensão em indivíduos saudáveis. 

Os programas multimodais que envolvam exercícios terapêuticos e exercícios aeróbios poderão ser mais uma estratégia ao dispor dos fisioterapeutas para tratamento dos pacientes com DTM muscular. Venham descobrir nesta palestra  o atual estado da arte sobre esta temática.

Prof.ª Dr.ª Paula Moleirinho Alves [PT] Fisioterapia

- Licenciada em Fisioterapia, Mestre em Neurologia e Doutorada em Comportamento Motor.
- Pós-graduação em fisiopatologia do sistema crâneo-mandibular-cervical e dor facial, e em Oclusão, DTM e Dor Orofacial.
- Professora Adjunta da Escola Superior de Saúde Egas Moniz
- Coordenadora de Estágios da Licenciatura em Fisioterapia da ESSEM
- Membro Integrado do Centro de Investigação Interdisciplinar Egas Moniz
- Publicações científicas, comunicações e pósteres em congressos nacionais e internacionais
- Prática Privada exclusiva na área da Disfunção Temporomandibular

Interação entre o Médico do Sono e a Medicina Dentária do Sono: Um passo à frente

Brevemente disponível.

Dr. Tiago Sá [Portugal] Pneumologia

Tiago SáMédico, Especialista em Pneumologia com Competência em Medicina do Sono pela Ordem dos Médicos e Expert Somnologist pela European Sleep Research Society. Fundador e Director Clínico na Sleeplab e Pneumologista no Hospital Internacional dos Açores. Autor do livro “Acabe com as noites em branco”.

– Mestrado integrado em Medicina realizado na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, 2012
– Especialista em Medicina do Sono pela European Sleep Research Society, 2018
– Competência em Medicina do Sono atribuída pela Ordem dos Médicos, 2020
– Internato médico de Pneumologia realizado no Hospital de Santa Marta (Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central), 2014 a 2018
– Médico Especialista de Pneumologia no Hospital de Santa Marta (Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central), 2019 a 2020
– Médico Especialista de Pneumologia no Hospital Internacional dos Açores desde 2021.

Centralidade da ATM na prática do Cirurgião Maxilofacial

Brevemente disponível.

Dr. Tiago Neto [PT] Cirurgia Maxilofacial

- Brevemente disponível.

Tratamento conservador na perspetiva do cirurgião

O Cirurgião Maxilo-Facial é um interveniente particularmente privilegiado na abordagem da Disfunção Temporo-Mandibular (DTM), já que possui competências únicas, que permitem a sua actuação num amplo campo de acção que se estende desde os quadros mais simples, que se resolvem simplesmente com terapêutica conservadora, até quadros mais complexos, com indicação cirúrgica inequívoca.

No entanto, apesar da multiplicidade de apresentações possíveis, a abordagem da DTM na esmagadora maioria das situações envolve, numa ou noutra fase do quadro clínico, métodos de terapêutica conservadora.  Assim reveste-se de extrema importância dominar as indicações e particularidades desse grupo de métodos terapêuticos. Esta apresentação tem como objectivo rever princípios básicos da gestão do doente com DTM e explanar o leque de métodos conservadores existentes, de acordo com o estado da arte, na perspectiva do Cirurgião.  

Dr. Eduardo Ventura [PT] Cirurgia Maxilofacial

- Especialista em Cirurgia Maxilofacial – Internato no Centro Hospitalar e Universitário do Porto, Hospital de Santo António
- Mestrado Integrado em Medicina na Universidade do Algarve
- Aluno do Postgraduate Diploma in Implant Dentistry no Eastman Dental Institute, University College of London de 2008 a 2010
- First Step – Introduction to Implant Dentistry no Eastman Dental Institute, University College of London em 2008
- Licenciado em Medicina Dentária na Universidade Fernando Pessoa em 2005
- Autor e co-autor de vários artigos em revistas internacionais indexadas no âmbito de diferentes vertentes da Cirurgia Maxilo-Facial.
- Apresentação de vários posters e comunicações orais em reuniões científicas nacionais e internacionais, no âmbito de várias vertentes da Cirurgia Maxilo-Facial.
- Leibinger Award pela European Association of CranioMaxilloFacial Surgery e John Lowry Scholarship pela European Association of CranioMaxilloFacial Surgery em 2021
- Bolsa de Apoio à Formação Médica pelo Conselho Nacional da Ordem dos Médicos em 2018
- Bolsa de Estudo por Mérito da Direção Geral do Ensino Superior em 2012

Aplicação ecoguiada de toxina botulínica na ATM

Brevemente disponível.

Dr. Miguel Oliveira [PT] Cirurgia Maxilofacial

- Brevemente disponível.

Aplicação de PRP na Articulação Temporomandibular

Brevemente disponível.

Dr.ª Aintzane Torre [ES] Cirurgia Oral e Maxilofacial

- Responsável pela  Formação da BTI e do Instituto Universitário da Medicina Regenerativa e Implantologia Oral (UIRMI).
- Licenciada em Medicina e Cirurgia pela  Universidade de Navarra.
- Licenciada em Medicina Dentária pela Universidade de Oviedo.
- Doutorada em Medicina Dentária pela  Universidade de Oviedo.
- Especialista em Cirurgia Oral e Maxilofacial pelo Hospital Central de Asturias.
- Professora associada de Estomatologia na Universidade do País Basco.
- Prática privada na Clínica Eduardo Anitua.

Abordagem cirúrgica de fraturas do côndilo e subcondilianas

Brevemente disponível.

Dr. Richard Nunes [PT] Cirurgia Maxilofacial

- Brevemente disponível.

TMJ Arthroscopy: from simple to complex

TMJ Arthroscopy achieve all characteristics of Minimally Invasive Surgery: small approaches, optics as part of the equipment and quick recovery. At this lecture we can examine from Diagnostic Arthroscopy to the most sophisticated technique looking for reestablish normal anatomy of the joint

Prof. Dr. Florencio Monje Gil [ES] Cirurgia Maxilofacial

-  Oral and Maxillofacial Surgeon.
- Professor of Surgery. Department Medical School Badajoz, Spain
- National Price on Research of Pain, 2014
- President of SECOM ( Spanish Society of Oral and Maxillofacial Surgery).2019-2021
- President of FEDICOM (Foundation for Study and Development of Research in Implantology, Oral and Maxillofacial Surgery)
- President of ESTMJS (European Society of Temporomandibular Joint Surgeons). 2014

- Author of several books:
1. Tratamiento quirúrgico de la Patologia de la Articulación Temporomandibular, Ed. Ripano, 2009
2. “Goya´s Painting and Dentofacial Deformities”. Ed. Planeta, 2009
3. Surgical management of temporomandibular joint: Vol .1 Arthroscopy. Vol. 2 Open Joint Surgery. I Tunes Store, 2014
4. “The face diseased. 50 universal paintings to understand face and neck´s condition”. Ed. Ars Duomo, 2017.

Prótese da ATM - a experiência do Serviço de Cirurgia Maxilofacial do Hospital São José

Introdução:
Reconstrução da ATM; Próteses totais da ATM; vantagens e desvantagens; indicações.

Casos clínicos:
Critérios de seleção; tipos de próteses utilizadas; procedimento cirúrgico; evolução e resultados.

Discussão

Dr. Luis Nunes da Silva [PT] Cirurgia Maxilofacial

- Assistente Hospitalar Graduado de Cirurgia Maxilofacial (CHULC – H. S. José).
- Natural de Lisboa (9/10/1956). Licenciado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa (1980) e inscrito na Ordem dos Médicos com o nº 23497.
- Especialista em Estomatologia (1990) e em Cirurgia Maxilofacial (2000) e membro dos respetivos Colégios da Ordem dos Médicos.
- Membro da Direção do Colégio da Especialidade de Cirurgia Maxilofacial da Ordem dos Médicos desde 2017.
- Assistente Convidado da Nova Medical School (2013-2021).

Prazos e Datas-Limite

  • Até ao dia 23 de Abril de 2023:
    • Submissão dos Abstracts.
    • Inscrição do autor apresentador no V Congresso da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular, Dor Orofacial e Sono.
  • Até ao dia 30 de Abril de 2023:
    • Notificação da aceitação ou rejeição do trabalho;
    • Indicação dos trabalhos a concurso e, portanto, para apresentação sob a forma de Comunicação Oral  em auditório.
  • Dia 20 de Maio de 2023:
    • Entrega da Comunicação Oral à Comissão Organizadora
    • Afixação e Exposição dos Pósteres
    • Apresentação e Discussão dos Trabalhos a concurso

REGULAMENTO SUBMISSÃO DE RESUMOS

  • Todos os trabalhos devem ser enviados sob a forma de Abstract, segundo o modelo fornecido pela Organização.
  • Apenas serão candidatos a prémio os trabalhos escolhidos pela Comissão Científica da SPDOF. Estes serão apresentados sob a forma de comunicação oral, presencial, no programa principal do congresso.
  • Caso o autor de algum trabalho selecionado, não pretenda fazer a comunicação oral, o respetivo abstract será publicado na revista com ISBN.
  • Os Abstracts científicos que forem escolhidos pela Comissão Científica para apresentação no Congresso, serão publicados em revista com ISBN. Os Abstracts recusados pela Comissão Científica não serão publicados.
  • A apresentação prévia dos trabalhos em outros eventos científicos é considerado critério de exclusão;
  • Cada apresentação científica poderá ter até um máximo de 5 autores; o primeiro autor (apresentador da comunicação oral) deverá estar obrigatoriamente inscrito no congresso.
  • Todos os autores, das apresentações científicas que envolvam investigação biomédica em sujeitos humanos, serão responsáveis pela adoção dos princípios éticos existentes na declaração de Helsínquia;
  • O Abstract poderá versar um trabalho de:
    • Investigação científica (serão considerados os estudos de experimentação laboratorial ou animal, estudos epidemiológicos, ensaios clínicos e trabalhos de revisão sistemática e meta-análise);
    • Caso(s) clínico(s);
    • Revisão bibliográfica narrativa (não concorrem a prémio, estando expostos durante o evento como Pósteres)
  • Decorrerá num dos dias do Congresso, presencial, cuja audiência será constituída pelo Júri e por todos os participantes no Congresso
  • A Comunicação Oral deverá ter a duração máxima de 10 minutos, seguida de 5 minutos de discussão com o Júri.
  • As características e facilidades audiovisuais para a execução da apresentação oral serão responsabilidade do autor apresentador.
  • Considera-se “autor” todo o responsável por submeter o Abstract da apresentação científica devendo estabelecer ligações a Instituições e/ou organismos onde foi desenvolvido o trabalho;
  • Cada autor só poderá apresentar um trabalho científico e deve identificar-se no Abstract com um asterisco, no entanto, poderá ser co-autor de outros trabalhos científicos;
  • Pelo menos um dos “autores” ou “co-autores” do trabalho científico terá de ser sócio ativo da SPDOF, apresentando as quotas em dia;
  • O autor responsável pela apresentação científica deve estar inscrito no Congresso da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular, Dor Orofacial e Sono e comparecer na plataforma online, na data e horário a definir pela Comissão Organizadora;
  • Caso surja algum impedimento que invalide a presença do autor este deverá comunicar esse facto ao responsável da Comissão Organizadora via e-mail, e indicar o co-autor substituto, que também ele tem de estar inscrito no congresso.
  • Só serão aceites Abstracts submetidos online com o preenchimento adequado do formulário e do documento anexo Abstract Template, em língua inglesa, até ao dia 23 de Abril de 2023.
  • Não serão aceites Abstracts enviados por outras vias (fax, email, através dos CTT, ou entregues “em-mão” a membros da Comissão Organizadora).
  • O incorreto preenchimento do Abstract Template é critério de exclusão.
  • Abstract alargado em Inglês com um máximo de 500 palavras, não excedendo uma página; enviados conforme o modelo anexo fornecido.
  • Devem ser submetidas 6–10 palavras-chave para cada trabalho
  • Título com o máximo de 2 linhas;
  • O não preenchimento adequado de todos os campos do formulário e Template conduz à recusa do Abstract;
  • Os Abstracts de trabalhos de investigação deverão incluir, mandatoriamente, os seguintes itens:
    • Introdução;
    • Objetivos;
    • Materiais e Métodos;
    • Resultados;
    • Conclusões;
    • Relevância clínica;
    • Fontes de financiamento (se aplicável).
  • Os Abstracts dos casos clínicos deverão incluir, mandatoriamente, os seguintes itens:
    • Introdução
    • Descrição do caso clínico (tempo de follow-up, se aplicável);
    • Discussão;
    • Conclusões;
    • Fontes de financiamento (se aplicável).
  • Os Abstracts dos trabalhos de revisão bibliográfica narrativa deverão incluir, mandatoriamente, os seguintes itens:
    • Introdução;
    • Objetivos;
    • Método de pesquisa bibliográfica (bases de dados, palavras-chave, anos de revisão);
    • Resultados;
    • Conclusões.
    • Fontes de financiamento (se aplicável).
  • Os Abstracts serão avaliados pela Comissão Científica da SPDOF a qual se reserva o direito de não aceitar qualquer Abstract que careça de rigor descritivo e/ou científico. Da decisão da dita Comissão Científica, não cabe recurso.
  • O autor receberá um e-mail de confirmação da receção do Abstract. Caso não receba a confirmação no prazo de 24 horas após a submissão, deverá contactar, por email, o Secretariado da Comissão Organizadora (sonia.pinho@diventos.com)
  • Todos os trabalhos aceites serão publicados num livro de Abstracts com registo ISBN da edição da SPDOF.
  • Todos os trabalhos, candidatos a prémio, serão avaliados por um júri nomeado pela Comissão Científica que atribuirá dois prémios, consoante o tipo de apresentação científica:
    • Melhor comunicação oral de investigação científica;
    • Melhor comunicação oral de caso(s) clínico(s).
  • Na atribuição dos prémios, os júris, terão em consideração o mérito científico, a originalidade do tema, a relevância clínica do trabalho e a apresentação do mesmo;
  • O anúncio dos vencedores do prémio será feito imediatamente a seguir a todas as apresentações científicas e a entrega do diploma será efetuada durante o decurso do Congresso em local e data a designar;
  • O autor de cada trabalho premiado será convidado como conferencista num evento científico da SPDOF a decorrer durante o ano seguinte ao Congresso da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial

Preços indisponíveis.

TOP