Comissão Científica

Presidente: Doutora Alexandra Vinagre
Vice-Presidente: Prof. Doutor Adriano Figueiredo
Vice-Presidente: Prof. Doutora Cristina Manso
Vice-Presidente: Prof. Doutora Maria Paço
Prof. Doutor João Caramês
Prof. Doutor Sérgio Félix
Prof. Doutor Francisco Salvado
Prof.ª Doutora Fátima Feliciano
Dr.ª Susana Varela
Dr. Luís Carrão
Prof.ª Doutora Cláudia Barbosa
Prof. Doutor António Mano Azul
Doutora Maria Carlos Quaresma
Prof.ª Doutora Isabel Luzeiro
Dr. Francisco Neto

Dia 15 de Maio [sexta-feira] JANTAR DO CONGRESSO
Quinta da Sobreira Quinhentista, Ançã

[20h30]

Receção com Cocktail de Boas-Vindas

Buffet de frios e quentes com canapés de camarão, canapés de salmão, canapés de pato, rissóis de camarão, rissóis de carne, croquetes de vitela, pastelinhos de bacalhau, chamuças de aves, muslitos do mar, coxinhas de frango e churrasquinho misto com broa de milho
Creme Cenoura com Bacon tostado aromatizado com ervas
Bacalhau com broa, batata dolar e migas
Bolo brigadeiro de chocolate com gelado e frutos do bosque
Café e Infusões
Vinhos e Soft Drinks, Martini rosso e bianco, frisantes, gin tónico, cerveja, sumos e água mineral.

35€/pessoa
(carece de reserva. Lugares limitados.)

 

Sala 1 // 9h00 - 13h00

Vagas: 30 pessoas
Preço:
     [PARTE I] 250€ Sócio SPDOF // 300€ Não Sócio SPDOF
     [PARTE II] 250€ Sócio SPDOF // 300€ Não Sócio SPDOF
[PARTE I e II] 400€ Sócio SPDOF // 500€ Não Sócio SPDOF

Duração: 3 horas teóricas e 1 hora prática
Destinatários: Médicos, Médicos Dentistas, Fisioterapeutas, Terapeutas da Fala e outros (e respetivos estudantes)

Workshop ministrado na Lingua Inglesa

Conteúdos Programáticos

Teoria (3h):

  • Obstructive Sleep Apnea (OSA) in the context of Orofacial Pain Practice - Cibele Dal Fabbro
  • Sleep Bruxism (SB) in the context of Orofacial Pain Practice – Gilles Lavigne
  • Screening in patient with OSA, OFP and SB (insomnia, etc) - Gilles Lavigne
  • Management of OSA and SB and associated conditions - Gilles Lavigne

Pausa

Prática (1h):

  • Practical Workshop with clinical evaluation – what is important to evaluate in a OSA and  SB in the dental chair – interview and examination

Formadores

Dr.ª Cibele Dal Fabbro

 

 

 

 

 

 

Brevemente disponível

Prof. Doutor Gilles Lavigne

 

 

 

 

 

 

Brevemente disponível.

Sala 1 // 14h30 - 19h00

Vagas: 30 pessoas
Preço:
     [PARTE I] 250€ Sócio SPDOF // 300€ Não Sócio SPDOF
     [PARTE II] 250€ Sócio SPDOF // 300€ Não Sócio SPDOF
[PARTE I e II] 400€ Sócio SPDOF // 500€ Não Sócio SPDOF

Duração: 2 horas teóricas e 2 horas práticas
Destinatários: Médicos e Médicos Dentistas (e respetivos estudantes)

Workshop ministrado na Lingua Inglesa

Conteúdos Programáticos

Teoria (2h):

  • Obstructive Sleep Apnea (OSA) - rapid overview
  • Mandibular Advancement Device (MAD)
    • Impression
    • Bite registration and titration
  • Clinical Examination
  • Sleep Exam
  • Referral
  • Delivery of MAD
  • Trouble Shooting

Pausa

Prática (2h):

  • Practical Workshop with clinical evaluation – bite registration and clinical proceedings for the purpose of delivering a MAD

Formadores

Dr.ª Cibele Dal Fabbro

 

 

 

 

 

Brevemente disponível

Prof. Doutor Gilles Lavigne

 

 

 

 

 

 

Brevemente disponível.

Sala 2 // 9h00 - 13h00

Vagas: 9 pessoas
Preço: 500€ Sócios SPDOF // 600€ Não Sócios SPDOF
Duração: 2 horas teóricas e 2 horas práticas
Destinatários: Médicos (Cirurgiões Maxilo-faciais)

Workshop ministrado na Língua Espanhola.

Conteúdos Programáticos

Brevemente mais informações.

Formadores

Dr. Rafael Martín-Granizo [ES]

 

 

 

 

 

Brevemente disponível.

Sala 3 // 14h30 - 19h00

Vagas: 30 pessoas
Preço: 70€ Sócios SPDOF // 90€ Não Sócios SPDOF
Duração: 4horas
Destinatários: Médicos, Médicos Dentistas e Fisioterapeutas (e respetivos estudantes)

Workshop ministrado na Língua Espanhola.

Conteúdos Programáticos

Los trastornos de la articulación temporomandibular (TTM) incluyen diferentes afectaciones patológicas caracterizadas principalmente por alteraciones en el movimiento, dolor muscular y articular en la región craneocervicofacial1. La etiología de los TTM es claramente multifactorial, aunque está bien aceptado que los músculos masticatorios juegan un papel relevante, así como, los músculos de la región cervical. Las teorías actuales proponen que los tejidos musculares pueden ser un generador de dolor y contribuir a la alteración procesamiento nociceptivo del dolor Craneofacial (TTM, dolor orofacial y Cefaleas)2.  Existe fuerte evidencia científica y relevancia clínica de que la musculatura profunda y estabilizadora de la articulación temporomandibular (ATM), masetero profundo, pteregoideos lateral y medial, pueden ser causa desencadenante o perpetuante de los trastornos de esta articulación 2,3. Además, cabe destacar que la literatura sugiere que existe una fuerte relación entre las alteraciones en la columna cervical y el dolor Craneofacial (TTM, cefalea tipo tensional, migrañas, neuralgia Occipital y cefalea cervicogénica). Se cree que esto ocurre debido a las estrechas conexiones anatómicas, biomecánicas y neurológicas entre el cuello, cabeza y sistema estomatognático. Esos trastornos musculoesqueléticos pueden estar relacionados con la función anormal de la musculatura flexora y extensora profunda4-7.

La palpación y, por lo tanto, el tratamiento manual de estos músculos profundos estabilizadores de la ATM y del plano profundo cervical alto es a menudo imposible, así como, no está validado su abordaje manual y menos instrumental8.

El objetivo de esta workshop, es establecer y mostrar la validación de las vías de abordaje con técnicas invasivas (punción seca, electrolisis e infiltacciones) de la musculatura profunda masticatoria y cervical en el abordaje del Dolor Craneocervicofacial (TTM, dolor orofacial, cefalea tipo tensional, migrañas, neuralgia Occipital y cefalea cervicogénica)8-11.

BIBLIOGRAFIA:

  1. Schiffman E., Ohrbach R., Truelove E., Look J., Anderson G., Goulet J.-P., List T., Svensson P., Gonzalez Y., Lobbezoo F., et al. Disorders (DC/TMD) for Clinical and Research Applications: Recommendations of the International RDC/TMD Consortium Network* and Orofacial Pain Special Interest Group. J. Oral Facial Pain Headache. 2014;28:6–27
  2. De Rossi S.S., Stern I., Sollecito T.P. Disorders of the masticatory muscles. Dent. Clin. North Am. 2013;57:449–464
  3. Svensson P., List T., Hector G. Analysis of stimulus-evoked pain in patients with myofascial temporomandibular pain disorders. Pain. 2001;92:399–409
  4. Oliveira-Campelo N. M., Rubens-Rebelatto J., Martín-Vallejo F. J., Alburquerque-Sendín F., Fernández-De-Las-Peñas C. The immediate efects of atlanto-occipital joint manipulation and suboccipital muscle inhibition technique on active mouth opening and pressure pain sensitivity over latent myofascial trigger points in the masticatory muscles. Journal of Orthopaedic and Sports Physical Therapy. 2010;40(5):310–317.
  5. Armijo-Olivo S., Fuentes J., Major P. W., Warren S., Thie N. M. R., Magee D. J. The association between neck disability and jaw disability. Journal of Oral Rehabilitation. 2010;37(9):670–679.
  6. Fernandez-de-las-Penas, C., Alonso-Blanco, C., Cuadrado, M.L., Gerwin, R.D., Pareja, J. A., 2006. Trigger points in the suboccipital muscles and forward head posture in tension-type headache. Headache, 206646, 454–460.
  7. Fernandez-de-las-Peñas, C., Arendt-Nielsen, L., 2017. Improving understanding of trigger points and widespread pressure pain sensitivity in tension-type headache patients: clinical implications. Expert Rev. Neurother. 17, 933–939.
  8. Mesa-Jiménez JA, Sánchez-Gutiérrez J, de-la-Hoz-Aizpurua JL, Fernández-de-las-Peñas C. Cadaveric validation of dry needle placement in the lateral pterygoid muscle. J Manipulative Physiol Ther. 2015;38(2):145-50.
  9. Fernández-de-Las-Peñas C, Mesa-Jiménez JA, Lopez-Davis A, Koppenhaver SL, Arias-Buría JL. Cadaveric and ultrasonographic validation of needling placement in the obliquus capitis inferior muscle. Musculoskelet Sci Pract. 2019
  10. Fernández-de-Las-Peñas C, Mesa-Jiménez JA, Paredes-Mancilla JA, Koppenhaver SL, Fernández-Carnero S. Cadaveric and Ultrasonographic Validation of Needling Placement in the Cervical Multifidus Muscle. J Manipulative Physiol Ther. 2017;40(5):365-370.
  11. Mesa-Jiménez JA, Lopez-Davis A, Koppenhaver SL, Arias-Buría JL, Fernández-de-Las-Peñas C. Cadaveric and ultrasonographic validation of needling placement in the medial pterygoid muscle. Musculoskelet Sci Pract. In press

Formadores

Prof. Dr. Juan Mesa Jiménez [ES]

-Doctor en Neurociencias, Graduado en Fisioterapia, Licenciado en Kinesiología y Fisiatría.
- Profesor de la Facultad de Medicina de la Universidad CEU San Pablo y del Departamento de Fisioterapia con más de 26 años experiencia como docente.
- Director, profesor, creador e investigador del prestigioso Máster Oficial Universitario de Dolor Orofacial y Disfunción Craneomandibular de la Universidad CEU San Pablo.
- Instructor y creador Integrative Craneofacial Therapy (INCRAFT CONCEPT).
- Ha formado a nivel vía máster oficial universitario a casi todos los especialistas (fisioterapeutas, dentistas y médicos) en dolor orofacial y Disfunción Craneomandibular.
- Fisioterapeuta Especializado en el tratamiento del Dolor Orofacial, Disfunción Craneomandibular y Cefaleas con más de 24 años de experiencia y director de MESALUD centro Especializado en Dolor Craneocervicofacial.
- Autor y dictante de artículos con factor de impacto en las revistas más prestigiosas mundiales de esta disciplina, capítulos de libros, cursos y conferencias en 4 continentes. Es Editor y Coautor del libro referencia TEMPOROMANDIBULAR DISORDERS. MANUAL THERAPY, EXERCISE AND NEEDLING (HANDSPRING 2018) traducido actualmente a 6 idiomas.
- Ha dirigido más de 100 de trabajos de investigación de grado y posgrado. Director de laboratorio de Investigación de Dolor Craneocervicofacial de la Facultad de Medicina de la Universidad CEU San Pablo y coordina varias líneas de investigación asociadas a esta disciplina.
- Es Miembro de varias Sociedades científicas nacionales e internacionales.

Sala 2 // 14h30 - 19h00

Vagas: 30 pessoas
Preço: 200€ Sócios SPDOF // 300€ Não Sócios SPDOF
Duração: 4horas
Destinatários: Médicos e Médicos Dentistas (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

Brevemente mais informações.

Formadores

Prof. Dr. Eduardo Januzzi

Brevemente disponivel

Sala 3 // 9h00 - 13h00

Vagas: 30 pessoas
Preço: 150€ Sócios SPDOF // 180€ Não Sócios SPDOF
Duração: 4horas
Destinatários: Todos os profissionais de saúde (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

Brevemente disponível.

Formador

Doutora Sónia Gregório

- Psicóloga (Universidade de Coimbra – Portugal), Especialista em Psicologia Clínica e da Saúde e Especialista avançada em Psicoterapia (Ordem dos Psicólogos Portugueses), Psicoterapeuta e Supervisora Cognitivo-Comportamental (Associação Portuguesa de Terapia do Comportamento).
- Doutora em Psicologia Clínica (Universidade de Coimbra - Portugal) e Mestre em Psicologia Geral da Saúde (Universidade Complutense de Madrid - Espanha).
- Membro do grupo de investigación Conducta, Emociones y Salud da Universidade Europeia de Madrid (Espanha). Colaboradora do Center for Research in Neuropsychology and Cognitive and Behavioral Intervention (CINEICC) da Universidade de Coimbra, onde desenvolveu trabalhos de investigação relacionados com a adaptação de medidas de distintos processos psicológicos (e.g., aceitação, mindfulness, descentração) à população portuguesa, com a exploração do mindfulness enquanto processo psicológico, e com a implementação de intervenções baseadas no mindfulness e na aceitação. Membro da Associação Portuguesa para o Mindfulness (APM). Autora de publicações cientificas.
- Docente na Faculdade de Ciências Biomédicas e de Saúde na Universidade Europeia de Madrid (Espanha). Actualmente desempenha também funções de psicóloga clínica e dedica-se à implementação de programas de mindfulness.

Sala 4 // 9h00 - 13h00

Vagas: 30 pessoas
Preço: 100€ Sócios SPDOF // 135€ Não Sócios SPDOF
Duração: 3horas teóricas // 1hora teórico-prática
Destinatários: Médicos dentistas e Estomatologistas (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

Brevemente disponível.

Formadores

Doutor Ricardo Dias

-Médico(a) Dentista inscrito(a) na Ordem dos Médicos Dentistas com a cédula profissional nº 5448;
- Licenciado(a) em Medicina Dentária pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) em 2006;
-
Pós-graduado em Reabilitação Oral Protética pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra em 2009;
-
Doutorado em Ciências da Saúde, Ramo de Medicina Dentária, especialidade de Prótese Dentária e Oclusão, disciplina de Oclusão, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, em 2015;
-
Assistente Convidado da disciplina de Prostodontia Fixa do Mestrado Integrado em Medicina Dentária e da Pós-graduação em Reabilitação Oral Protética da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra desde 2008;
-
Investigador em ReabilitaçãoOral nas áreas de implantologia, disfunções temporomandibulares, bruxismo, dor orofacial e medicina dentária do sono na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra;
-
Prática clínica privada em reabilitação oral protética, disfunção temporomandibular, bruxismo, dor orofacial e medicina dentária do sono;
-
Cofundador e Secretário Adjunto da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial desde 2015;
-
Membro do conselho fiscal da Sociedade Portuguesa de Estética dentária desde 2017;
-
Conferencista em diversos congresssos nacionais e internacionais;
-
Autor e Co-autor de vários trabalhos científicos apresentados em congressos nacionais e internacionais

 

Dr. Pedro Cebola

- Mestrado Integrado em Medicina Dentária pelo IUEM - 2016
- Licenciatura em Prótese Dentária pela ESSEM - 2010
-
Pós-graduação em Oclusão, Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial pela ECDS
-
Co-autor do livro “Bruxismo: do Diagnóstico à Reabilitação” da SPDOF
-
Membro do Gruppo di Studio Italiano Disordini Craniomandibolari (GSID) fundado pelo Professor Doutor Daniele Manfredini
-
Membro do International Association for Dental Research (IADR)
-
Prática Clinica exclusiva em Disfunção Temporomandibular, Dor Orofacial e Medicina Dentária do Sono

Sala 4 // 14h30 - 19h00

Vagas: 30 pessoas
Preço: 40€ Sócios SPDOF // 60€ Não Sócios SPDOF
Duração: 3horas teóricas // 1hora teórico-prática
Destinatários: Terapeutas da Fala, Médicos dentistas e Fisioterapeutas (e respetivos estudantes)

Conteúdos Programáticos

  • Revisar brevemente a patofisiologia da mastigação
  • Avaliar a função mastigatória: recursos e resultados possíveis
  • Reconhecer fatores limitantes para a reabilitação da função
  • Reabilitar a função mastigatória: instrumentos disponíveis, hierarquia de trabalho e critérios de alta

Formadores

Prof.ª Dr.ª Sílvia Hitos

Brevemente disponível.

 

[Sexta-feira] 15 de Maio

Hands on Education: Terapia Manual integrada na educação centrada na pessoa

O modelo de intervenção em saúde centrado na Pessoa pressupõe a capacidade de ligação profunda com a indivíduo. Esta ligação, num contexto de saúde, carece de uma escuta e compreensão empática capazes de observar e identificar o quadro de referência da pessoa, ou seja, a forma como a pessoa pensa, reflecte e compreende o funcionamento do seu corpo em interacção com o meio circundante. Pela educação, o profissional de saúde promove a adequação de pensamentos e crenças face à relevância clínica da condição (ex.: quão perigoso é um processo de osteo-artrose), contribui para a gestão do medo e atitude de evitamento, conduzindo uma intervenção multimodal, em colaboração com a pessoa, no sentido de permitir um processo de exposição gradual ao movimento e à actividade. A terapia manual constitui uma das ferramentas mais utilizadas na prática clínica, dando um contributo clínico, especialmente combinada com outras modalidades, para a indução de mecanismos de modulação da experiência dolorosa e retorno ao movimento. Numa abordagem centrada na pessoa, onde a autonomia e auto-gestão devem ser promovidas, a TM poderá contribuir enquanto elemento-chave da relação terapêutica (interacções afectivo-emocionais), enquanto elemento reorganizador da percepção corporal (estímulo de segurança vs perigo), potencializando efeitos a curto-prazo na possibilidade de introdução de estratégias de coping activas. Em última instância, uma abordagem centrada na pessoa não procura tratar a dor, mas recuperar a confiança para o movimento.

Dr. Tiago Freitas [PT] Fisioterapia

- Licenciado em Fisioterapia pela ESSAlcoitão, 2007
- Mestre em Fisioterapia ME pela ESS IPSetúbal e Nova Medical School, 2012
-
Formando em Psicoterapia Abordagem Centrada na Pessoa, Associação Portuguesa de Counseling e Psicoterapia Centrada na Pessoa
-
Formação avançada em Mindfulness-based cognitive stress reduction, pelo Centro Português de Mindfulness
-
Formação avançada em Neurociências da dor pela NOI Group
-
Docente do Ensino Superior na Cespu-Instituto Politécnico de Saúde do Norte
-
Docente convidado ESS do Alcoitão, ESS do Politécnico do Porto, ESS Santa Maria
-
Fisioterapeuta e Diretor Técnico da Clínica Neurodor

Ozonoterapia e Dor

Brevemente disponível.

Prof. Dr. Francisco Javier Hidalgo [ESP] Medicina

  • Licenciado em Medicina e em Medicina Dentária pela Universidade de Granada;
  • Especialista em Estomatologia pela Universidade Complutense de Madrid;
  • Doutorado em Medicina pela Universidade de Granada;
  • Pós-graduação no departamento de Dor Orofacial na Universidade de Kentucky e no Centro de Investigação em Ozonoterapia, em Havana;
  • Especialista em Medicina anti-envelhecimento (Universidade de Sevilha), ecografia músculo-esquelética (Universidad Internacional de La Rioja), Anestesia e Terapêutica da dor (Universidad CEU cardenal Herrera);
  • Docente colaborador na área da Medicina da dor em diversas universidades europeias e investigador associado do Instituto de Neurociências da Universidade de Granada;
  • Co-autor de diversos artigos científicos, autor de capítulos de livros e conferencista em vários congressos nacionais e internacionais;
  • Presidente do XXIX Congresso Nacional da Sociedade Espanhola de Disfunção Craniomandibular e Dor Orofacial:
  • Diretor da Cátedra Empresa/Universidade de Ozonoterapia e Dor Crónica da Universidade San Antonio de Murcia.

 

Scientific Sponsor:

Sono e Dor

Brevemente disponível.

Dr. Pedro Mayoral [ESP] Medicina

Brevemente disponível.

 

 

 

Scientific Sponsor:

Disfunção Temporomandibular e Nevralgia do Trigémeo - Diagnóstico e Abordagem

A dor constitui um dos principais motivos que levam os pacientes à consulta de Medicina Dentária. Na maior parte dos casos, a dor será aguda e associada com patologia dentaria, óssea ou de tecidos moles, e neste caso, tem um carácter protetor para o organismo. No entanto, uma percentagem dos pacientes apresentar-se-á com dor cujas características apontam para um diagnóstico de dor crónica. A dor crónica tem um grande impacto na saúde do paciente, a nível emocional, físico e social e o seu impacto económico não deve ser ignorado.

Nesta sessão, abordaremos a diferença entre dor aguda e dor crónica, e daremos ênfase à importância de uma história clínica adequada (características da dor), e também a educação do paciente para que participe ativamente no seu plano de tratamento. Serão discutidas, mais ao pormenor, a Nevralgia do Trigémeo e a Disfunção Temporomandibular (dor miofascial) e as comorbidades com que estes pacientes se podem apresentar.

Concluiremos com uma sessão interativa, ilustrada com casos clínicos, em que discutiremos diagnósticos diferenciais, exames complementares de diagnóstico e opções de tratamento (farmacologia, fisioterapia, psicologia).

Prof.ª Doutora Joanna Zakrzewska [ING] Medicina

Professor Joanna Zakrzewska is both dentally and medically trained (London and Cambridge).  Between 2007- 2015 she set up the largest award winning UK multi-disciplinary facial pain service at UCLH, London. She has written four books, contributed to 20 chapters, written over 130 peer reviewed papers and has been rated as the top expert in trigeminal neuralgia in the world.   

 

 

Doutora Carolina Venda Nova [PT] Medicina Dentária

  • Licenciada em Medicina Dentaria pela FMDUP 2009
  • Mestrado em Medicina Oral, UCL Eastman Dental Institute, Londres, 2011-2012
  • Aluna de Doutoramento, UCL Eastman Dental Institute, Londres, 2018-2022
  • Pratica clinica em Medicina Oral e Dor Orofacial no Eastman Dental Hospital , desde 2012

 

Terapia Miofuncional na Reabilitação Oral

Brevemente disponível.

Dr.ª Sílvia Hitos [BRA] Terapia da Fala

-  Brevemente disponível.

Dor Orofacial e coluna cervical

Os distúrbios crónicos da Dor Orofacial afetam a região da cabeça e pescoço. Embora alguns tenham etiologias periféricas claras, por exemplo, neuralgia trigeminal, outros não têm uma etiologia clara (por exemplo, desordens temporomandibulares musculares). No entanto, esses distúrbios fornecem uma oportunidade única para o estudo das adaptações neuro-imuno-fisiológicas na base do processo de transição entre a dor aguda e a dor crónica.
Dor cervical e hiperalgesia mecânica são comummente encontrados em pacientes com DTM (Disfunção Temporo Mandibular) e foram descritos desde a década de 1970. No entanto, as relações entre sensibilidade mecânica pericraniana, mastigatória e dos músculos cervicais e a presença de DTM e incapacidade relatada têm sido pouco exploradas.
Há uma estreita interação neurofisiológica entre as regiões orofacial e cervical através do núcleo trigeminocervical. Fibras aferentes nociceptivas da região orofacial e da coluna cervical convergem no núcleo trigémino-cervical, portanto não nos é possível discriminar entre as duas fontes de input quando a informação é projectada superiormente. O utente experiencia dor em ambos os locais apesar de apenas um constituir uma “fonte de nocicepção”.
Esta apresentação tem como objectivo esclarecer quais os mecanismos neuro-imuno-fisiológicos na base de sintomas de dor cervical em utentes com DTM e determinar a sua relação com a transição para estados de dor crónica.

Dr. Sérgio Neto [PT] Fisioterapia

- Mestre em Condições Músculo Esqueléticas pela Universidade Nova Lisboa/ESS-IPSetúbal;
- Pós-Graduado em Fisiopatologia Cérvico-Crâneo-Mandibular pela Universidade Andrés-Bello e pelo CEDIME;
-
Certificado Terapia Manual Ortopédica pela Curtin University;
-
Certified Mulligan Practitioner;
- Membro COMPARE – Chronic Musculoskeletal Research Group;
- Membro do Gruppo di Studio Italiano Disordini Craniomandibolari – GSID;
- Membro da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporo Mandibular e Dor Orofacial – SPDOF

Síndrome da Boca Ardente. Um desafio de diagnóstico e tratamento

A síndrome da boca ardente caracteriza-se por uma sensação persistente de ardor ou queimadura da mucosa oral para a qual não existe tradução clínica, imagiológica ou laboratorial. A prevalência varia de acordo com os estudos, mas em Portugal calcula-se que seja de cerca de 2% com especial incidência em mulheres com mais de 40 anos. De etiologia desconhecida pode ser explicada através de vários mecanismos fisiopatológicos como por exemplo a ocorrência de neuropatia periférica nas fibras de pequeno diâmetro da mucosa oral ou por mecanismos centrais de dor ligados à hipofunção dos neurónios dopaminérgicos nos gânglios basais podendo mais do que um mecanismo estar envolvido no mesmo doente. A síndrome da boca ardente partilha algumas características com outras entidades patológicas como por exemplo a fibromialgia, sendo que esta última também já se encontra associada a manifestações na esfera orofacial nomeadamente à disfunção temporo-mandibular. O diagnóstico e tratamento da síndrome da boca ardente é um desafio para o médico dentista e uma melhor compreensão da sua patofisiologia é necessária.

Dr. Pedro Trancoso [PT] Medicina Oral

- Licenciado em medicina dentária pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde - Egas Moniz
- Especialista em Cirurgia Oral pela Ordem dos Médicos Dentistas
-
Mestre em medicina oral pelo Eastman Dental Institute - University College London
-
Docente das disciplinas de Medicina e Cirurgia Oral I e II e de Medicina Dentária Hospitalar no mestrado integrado em medicina dentária da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa, Porto
-
Docente convidado na Pós-graduação em Medicina Oral do Instituto Superior de Ciências da Saúde Norte, CESPU
-
Membro suplente do Conselho Directivo da Ordem dos Médicos Dentistas
-
Membro da Comissão Científica da Ordem dos Médicos Dentistas
-
Membro da Comissão Científica Nacional do Programa de Prevenção e Controlo de Infecções e de Resistência aos Antimicrobianos (PPCIRA) da Direcção Geral da Saúde
-
Membro da comissão de acompanhamento da OMD do Programa de Intervenção Precoce no Cancro Oral (PIPCO)
-
Vice-presidente da Academia Portuguesa de Medicina Oral

Fibromialgia e Dor Crónica Orofacial

Brevemente disponível.

Prof. Dr. António Pereira da Silva [PT] Reumatologia

- O Prof. Pereira da Silva licenciou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra em 1982 e obteve o Doutoramento em Medicina/Reumatologia pela Universidade de Londres em 1993.
- Exerce, atualmente, as funções de Professor Catedrático de Reumatologia e Presidente da Assembleia da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.
- É Diretor de Serviço nos respectivos Hospitais, cujo lema persegue com empenho: “Promover felicidade mediante cuidados de excelência”.Presidiu, de 2006-2010 ao European Board of Rheumatology e foi Chairman do Standing Committee for Education and Training da EULAR de 2001-2005.
- Co-autor de várias recomendações terapêuticas da EULAR.
- O Prof. Pereira da Silva manifesta especial orgulho na sua dedicação à Educação Médica, consubstanciada numa longa atividade nessa área e na publicação de um livro de carácter pedagógico inovador. É autor de mais de 200 publicações em revistas indexadas nacionais e internacionais, sendo revisor de artigos para quase todas e membro do Editorial Board de muitas delas.

[Sábado] 16 de Maio

The importance of Sleep Disorders for Orofacial Pain Patients

In this lecture will be given insight on the definition of sleep, sleep disorders important to pain patients, such as: Sleep Bruxism, Obstructive Sleep Apnea and Insomnia.

Prof.ª Dr.ª Cibele Dal Fabbro [BR] Medicina Dentária

Brevemente disponível.

Interrelationship of Orofacial Pain, Insomnia, Obstructive Sleep Apnea and Sleep Bruxism

Brevemente disponível.

Prof. Dr. Gilles Lavigne [CAN] Medicina

- Brevemente disponível.

Guia Clínica no Tratamento com Fisioterapia da Patologia Articular nos Transtornos Temporomandibulares

La disfunción temporomandibular (DTM) constituye un subgrupo de trastornos musculoesqueléticos relacionados entre sí, que implican a la musculatura masticatoria, a la articulación temporomandibular y sus estructuras asociadas, y que representa la causa más importante de dolor no dental en la región orofacial1,2. La DTM no sólo es responsable de dolor facial, sino que frecuentemente se asocia a dolor craneocervical y cefalea3

Según el estudio epidemiológico realizado en España por Poveda-Roda y cols. el diagnóstico más frecuente corresponde al dolor miofascial (diagnóstico simple o múltiple) (42 %), seguido por desplazamiento del disco con reducción (DDCR) 32,1 %, artralgia 30 %, osteoartrosis 14,2 %, osteoartritis 12,3 % y el desplazamiento del disco sin reducción (DDSR) (8,6 %)4.

La etiología de la DTM sigue sin estar clara, pero es probablemente multifactorial por eso el enfoque terapéutico debe ser interdisciplinario 5. En muchos de los pacientes, los signos y síntomas mejoran con el tiempo, con o sin tratamiento 5-8. Hasta el 50 % de los pacientes mejoran en un año y el 85 % lo hacen en tres años (8). La gran mayoría de los trastornos temporomandibulares (aproximadamente de un 85 % a un 90 %), tanto articulares como musculares, deben tratarse de forma no invasiva y no quirúrgica9,10. Los pacientes con eventos patológicos intraarticulares deben de abordarse con tratamiento conservador, ya que las intervenciones quirúrgicas cambian la anatomía de la articulación, invaden la integridad del espacio articular y afectan a la fisiología articular, pudiendo producir un daño que puede ser irreversible. Actualmente no se cuenta con ensayos randomizados ni metaanálisis que justifiquen que la cirugía obtenga una mejoría de los síntomas a largo plazo11. Por lo tanto, la terapéutica de la DTM deber ser multifactorial, con un abordaje conservador y no invasivo  y debe incluir tratamiento fisioterápico, médicoodontológico conservador (odontoestomatólogo y cirujano maxilofacial) y, si es necesario, con el apoyo de otros especialistas, como psicólogos, algólogos, neurólogos, psiquiatras y otorrinolarigólogos12.

La fisioterapia juega un papel fundamental en el tratamiento de la DTM. Los objetivos de la fisioterapia son fomentar la reparación tisular, mejorar la función articular y tratar el dolor. El tratamiento debe seguir el modelo Biopsicosocial, basarse en criterios fundamentales como el diagnóstico, los mecanismos del dolor, la situación clínica, aspectos psicosociales implicados y siempre debe tener en cuenta las preferencias del paciente. La fisioterapia en el manejo del dolor y de la disfunción temporomandibular es una aproximación no invasiva y con un bajo coste económico comparada con otras modalidades de tratamiento.

El tratamiento fisioterápico de la patología articular debe diseñarse en función del tipo de disfunción que presente el paciente Desplazamiento Discal Con reducción (DDCR) o sin reducción (DDSR), osteoartrosis, bloqueo agudo, capsulo-sinovitis, etc12-14 y siempre teniendo en cuenta los mecanismos del dolor implicados y el pronóstico del cuadro. Es por ello, que actualmente en fisioterapia se enfatice la importancia del razonamiento clínico a partir de categorías de hipótesis y exploración clínica. Las técnicas de fisioterapia que se emplean en el tratamiento de la DTM son: técnicas semiinvasivas (punción seca, Electrolisis, acupuntura y neuromodulación), educación, terapia manual, ejercicio terapéutico,  biofeedback, técnicas de relajación y terapias físicas como crioterapia, termoterapia, ultrasonidos, laserterapia, TENS, etc.15-17Existe evidencia Grado I en varias de estas modalidades terapéuticas fisioterápicas, pero no en todas, siendo los objetivo de estas; reducir el dolor, favorecer la reparación tisular y normalizar la función mandibular18. La efectividad de la fisioterapia no se justifica exclusivamente por sus efectos mecánicos sobre los tejidos articulares y musculares, sino por sus efectos neuromoduladores al actuar estimulando diferentes aferentes somáticos.

Bibliografía:
1. Mesa Jiménez J, Torres Cueco R, Fernández de las Peñas C. Fisioterapia en el tratamiento de la disfunción temporomandibular: una aproximación desde la patología a la guía clínica. Rev Soc Esp Dolor 2014; 21(Supl. II): 14-27
2.
Branco LP, Santis TO, Alfaya TA, Godoy CH, Fragoso YD, Bussadori SK. Association between headache and temporomandibular joint disorders in children and adolescents. J Oral Sci 2013;55(1):39-43.
3.
Melo CE, Oliveira JL, Jesus AC, Maia ML, de Santana JC, Andrade LS, et al. Temporomandibular disorders dysfunction in headache patients. Med Oral Patol Oral Cir Bucal 2012;17(6):1042-6.
4.
Poveda-Roda R, Bagan JV, Sanchis JM, Carbonell E. Temporomandibular disorders. A case-control study. Med Oral Patol Oral Cir Bucal 2012;17(5):e794-800.
5.
Ohrbach R, List T, Goulet JP, Svensson P. Recommendations from the International Consensus Workshop: convergence on an orofacial pain taxonomy. J Oral Rehabil 2010;37(10):807-12.
6.
Sato S, Goto S, Nasu F, Motegi K. Natural course of disc displacement with reduction of the temporomandibular joint: changes in clinical signs and symptoms. J Oral Maxillofac Surg 2003;61(1):32-4.
7.
Sato S, Nasu F, Motegi K. Natural course of nonreducing disc displacement of the temporomandibular joint: Changes in chewing movement and masticatory efficiency. J Oral Maxillofac Surg 2002;60(8):867-72. 46.
8.
Naeije M, Te Veldhuis AH, Te Veldhuis EC, Visscher CM, Lobbezoo F. Disc displacement within the human temporomandibular joint: A systematic review of a ‘noisy annoyance’. J Oral Rehabil 2013;40(2):139-58.
9.
American Society of Temporomandibular Joint S. Guidelines for diagnosis and management of disorders involving the temporomandibular joint and related musculoskeletal structures. Cranio 2003;21(1):68-76.
10.
Fricton J. Current evidence providing clarity in management of temporomandibular disorders: Summary of a systematic review of randomized clinical trials for intra-oral appliances and occlusal therapies. J Evid Based Dent Pract 2006;6(1):48-52.
11.
Craane B, Dijkstra PU, Stappaerts K, De Laat A. Randomized controlled trial on physical therapy for TMJ closed lock. J Dent Res 2012;91(4):364-9. 51.
12.
Schiffman EL, Look JO, Hodges JS, Swift JQ, Decker KL, Hathaway KM, et al. Randomized effectiveness study of four therapeutic strategies for TMJ closed lock. J Dent Res 2007;86(1):58-63.
13.
Yoda T, Sakamoto I, Imai H, Honma Y, Shinjo Y, Takano A, et al. A randomized controlled trial of therapeutic exercise for clicking due to disk anterior displacement with reduction in the temporomandibular joint. Cranio 2003;21(1):10-6.
14.
Yoda T, Sakamoto I, Imai H, Ohashi K, Hoshi K, Kusama M, et al. Response of temporomandibular joint intermittent closed lock to different treatment modalities: A multicenter survey. Cranio 2006;24(2):130-6.
15.
Manfredini D, Bucci MB, Montagna F, Guarda-Nardini L. Temporomandibular disorders assessment: Medicolegal considerations in the evidence-based era. J Oral Rehabil 2011;38(2):101-19. 72.
16.
Dickerson SM, Weaver JM, Boyson AN, Thacker JA, Junak AA, Ritzline PD, Donaldson MB. Dickerson SM, Weaver JM, Boyson AN, Thacker JA, Junak AA, Ritzline PD, Donaldson MB. The effectiveness of exercise therapy for temporomandibular dysfunction: a systematic review and meta-analysis. Clin Rehabil. 2017 Aug;31(8):1039-1048.
17.
Armijo-Olivo S, Pitance L, Singh V, Neto F, Thie N, Michelotti A. Effectiveness of Manual Therapy and Therapeutic Exercise for Temporomandibular Disorders: Systematic Review and Meta-Analysis. Phys Ther. 2016 Jan;96(1):9-25.
18.
Vier C, Almeida MB, Neves ML, Santos AR, Bracht MA. The effectiveness of dry needling for patients with orofacial pain associated with temporomandibular dysfunction: a systematic review and meta-analysis. Braz J Phys Ther. 2019 Jan; 23(1):3-11.

Prof. Dr. Juan Mesa Jiménez [ESP] Fisioterapia

Doctor en Neurociencias, Graduado en Fisioterapia, Licenciado en Kinesiología y Fisiatría.
- Profesor de la Facultad de Medicina de la Universidad CEU San Pablo y del Departamento de Fisioterapia con más de 26 años experiencia como docente.
- Director, profesor, creador e investigador del prestigioso Máster Oficial Universitario de Dolor Orofacial y Disfunción Craneomandibular de la Universidad CEU San Pablo.
- Instructor y creador Integrative Craneofacial Therapy (INCRAFT CONCEPT). Ha formado a nivel vía máster oficial universitario a casi todos los especialistas (fisioterapeutas, dentistas y médicos) en dolor orofacial y Disfunción Craneomandibular.

- Fisioterapeuta Especializado en el tratamiento del Dolor Orofacial, Disfunción Craneomandibular y Cefaleas con más de 24 años de experiencia y director de MESALUD centro Especializado en Dolor Craneocervicofacial. Autor y dictante de artículos con factor de impacto en las revistas más prestigiosas mundiales de esta disciplina, capítulos de libros, cursos y conferencias en 4 continentes.
- Es Editor y Coautor del libro referencia TEMPOROMANDIBULAR DISORDERS. MANUAL THERAPY, EXERCISE AND NEEDLING (HANDSPRING 2018) traducido actualmente a 6 idiomas.

- Ha dirigido más de 100 de trabajos de investigación de grado y posgrado. Director de laboratorio de Investigación de Dolor Craneocervicofacial de la Facultad de Medicina de la Universidad CEU San Pablo y coordina varias líneas de investigación asociadas a esta disciplina.
- Es Miembro de varias Sociedades científicas nacionales e internacionales.

Viscossuplementação do compartimento inferior da Articulação Temporomandibular guiada por Ecografia

Brevemente disponível.

Prof. Dr. Eduardo Januzzi [BRA] Medicina Dentária

- Brevemente disponível.

Artroscopia

Brevemente disponível.

Dr. Rafael Martin Granizo [ESP] Cirurgia Maxilo-facial

- Brevemente disponível.

Cirurgia Ortognática na Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono

Brevemente disponível.

Dr.ª Lourdes Maniegas Lozano [ESP] Cirurgia Maxilo-facial

- Licenciada en Medicina y Cirugía Universidad Complutense de Madrid (U.C.M.)
- Licenciada en Odontología Universidad Europea de Madrid (U.E.M.)
-
Especialista en Cirugía Oral y Maxilofacial (Médico Interno Residente en Hospital Clínico San Carlos, Madrid)
-
Médico Colaborador del Departamento de Cirugía Oral y Maxilofacial de la Clínica Universidad de Navarra desde Septiembre de 2008 a  2010.
-
Médico Especialista en Cirugía Oral y Maxilofacial en el Servicio de Cirugía Oral y Maxilofacial de la Fundación Jiménez Díaz (Madrid), Hospital Infanta Elena (Valdemoro) y Hospital Rey Juan Carlos (Móstoles) desde Enero de 2011.
-
Experiencia en cirugía mínimamente invasiva de la ATM (artroscopia, artrocentesis), cirugía oral y preprotésica, implantología guiada por ordenador, cirugía de las deformidades dentofaciales y de la apnea del sueño.
Fellow of the European Board of Oro-Maxillofacial-Facial Surgery (Brujas, septiembre 2010)
-
Miembro Numerario de la Sociedad Española de Cirugía Oral y Maxilofacial de Cabeza y Cuello (SECOM C y C)
-
Miembro de la Sociedad Española de Cirugía Oral y Maxilofacial (SMMAX)
-
Representante de la especialidad y participante como autora en el Consenso Internacional de Actualización de Apnea de Sueño
-
Clínico colaborador en la Facutad de Medicina de la Universidad Autónoma de Madrid

Dr. David Sanz [PT] Cirurgia Maxilo-facial

-Brevemente disponível.

Mastigação e Desenvolvimento Orofacial. Intervir com Alinhadores

Brevemente disponível.

Prof.ª Doutora Teresa Sobral Costa [PT] Ortodontia

- Licenciada em Medicina Dentária pelo ISCS-Sul
- Mestrado em Ciências Dentárias - Ortodontia pela Universidade de Krems, Áustria
- Doutorada pela Universidade de Granada, Espanha- Professora Assistente no departamento de Ortodontia do Instituto Universitário Egas Moniz (IUEM)
- Master Damon - Dr. Espejo & Dr.Perera
- Certificação no sistema Incógnito
- Certificada em Invisalign®️ desde 2011
- Master Avançado em Ortodontia Invisível - Dr. Manuel Róman, Málaga
- Master COIP - Dr. Ivan Málagon & Dr.Diego Peydro
- Curso Internacional em Disfunção Temporo-Mandibular e Dor Orofacial - Prof. Dr. Eduardo Januzzi
- Responsável de Invisalign na Pós-graduação de Ortodontia no IUEM
- Coordenadora da Pós-Graduação Universitária baseada na técnica Invisalign®️ no IUEM
- Prática exclusiva em Ortodontia

Intervenção Não Farmacológica na gestão da dor: principais objetivos, procedimentos e resultados

Brevemente disponível.

Prof.ª Doutora Sónia Gregório [PT] Psicologia

- Psicóloga (Universidade de Coimbra – Portugal), Especialista em Psicologia Clínica e da Saúde e Especialista avançada em Psicoterapia (Ordem dos Psicólogos Portugueses), Psicoterapeuta e Supervisora Cognitivo-Comportamental (Associação Portuguesa de Terapia do Comportamento).
-
Doutora em Psicologia Clínica (Universidade de Coimbra - Portugal) e Mestre em Psicologia Geral da Saúde (Universidade Complutense de Madrid - Espanha).
-
Membro do grupo de investigación Conducta, Emociones y Salud da Universidade Europeia de Madrid (Espanha). Colaboradora do Center for Research in Neuropsychology and Cognitive and Behavioral Intervention (CINEICC) da Universidade de Coimbra, onde desenvolveu trabalhos de investigação relacionados com a adaptação de medidas de distintos processos psicológicos (e.g., aceitação, mindfulness, descentração) à população portuguesa, com a exploração do mindfulness enquanto processo psicológico, e com a implementação de intervenções baseadas no mindfulness e na aceitação. Membro da Associação Portuguesa para o Mindfulness (APM). Autora de publicações cientificas.
-
Docente na Faculdade de Ciências Biomédicas e de Saúde na Universidade Europeia de Madrid (Espanha). Actualmente desempenha também funções de psicóloga clínica e dedica-se à implementação de programas de mindfulness.

Autocompaixão: Trajetória de Transformação Interior e uma via alternativa para lidar com a Dor

Brevemente disponível.

Prof.ª Doutora Paula Castilho Freitas [PT] Psicologia

- Doutorada em Psicologia Clínica, é Professora Auxiliar na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, onde investiga e ensina na área da psicoterapia clínica.
- Investigadora do Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental (CINEICC),financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (Ministério da Educação, Ciência e Tecnologia), tem estado envolvida em projetos de investigação na área das Terapias Cognitivo-Contextuais, com uma ênfase particular nos constructos relacionados com o modelo evolucionário e Teoria do Ranking Social (vergonha, autocriticismo, submissão, medos da compaixão), terapia focada na compaixão (TFC; (auto)compaixão) e na terapia da aceitação e compromisso (ACT). Os estudos que tem levado a cabo incidem sobre diversas populações clínicas, em especial as perturbações da personalidade (e.g., Perturbação Borderline da Personalidade, Perturbação Obsessivo-Compulsiva da Personalidade; Dor Crónica), as perturbações psicóticas e perturbações afetivas (bipolaridade).
- Tem colaborado com instituições públicas e privadas em diversos cursos de formação para psicólogos, enfermeiros e psiquiatras sobre psicoterapia cognitivo-comportamental (1ª e 2ª geração) e terapias de terceira geração (TFC, ACT, MBCT).
- É membro e supervisora credenciado da APTC – Associação Portuguesa de Terapia do Comportamento, da Associação Portuguesa de Mindfulness, e da Sociedade Portuguesa de Sexologia (creditada como terapeuta sexual). É autora de alguns artigos de investigação publicados em revistas nacionais e internacionais nas áreas referidas.
- As suas atuais áreas de investigação incluem estudos da eficácia de programas de intervenção na ACT e TFC para as perturbações psicóticas, perturbação borderline da personalidade, perturbação bipolar e dor crónica, e estudos transversais e longitudinais relacionados com variáveis centrais do modelo do ranking social e relacionadas com os princípios do estar no presente (mindfulness), aceitação e desfusão.

Prazos e Datas-Limite

  • Até ao dia 30 de Março de 2020:
    • Submissão dos resumos.
    • Inscrição do autor apresentador no IV Congresso da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial.
  • Até ao dia 15 de Abril de 2020:
    • Notificação da aceitação ou rejeição do trabalho;
  • Até ao dia 26 de Abril de 2020:
    • Entrega em PDF dos pósteres à Comissão Organizadora.
  • Até ao dia 30 de Abril de 2020:
    • Indicação dos trabalhos a concurso.
  • Nos dias 14 e 15 de Maio de 2020:
    • Entrega da Comunicação Oral à Comissão Organizadora
    • Afixação e Exposição dos Pósteres
    • Apresentação e Discussão dos Trabalhos a concurso (candidatos a prémio)

REGULAMENTO DA SUBMISSÃO DE RESUMOS

  • Todos os trabalhos devem ser enviados e apresentados sob a forma de poster.
  • Apenas serão candidatos a prémio os trabalhos escolhidos pela Comissão Científica da SPDOF. Estes serão afixados sob a forma de poster e apresentados sob a forma de comunicação oral.
  • Caso o autor de algum trabalho selecionado não pretenda fazer a comunicação oral o trabalho será apresentado sob a forma de poster mas não será considerado para prémio.
  • A apresentação prévia dos trabalhos em outros eventos científicos é considerado critério de exclusão;
  • Cada apresentação científica poderá ter até um máximo de 5 autores; o primeiro autor (apresentador do póster/comunicação oral) deverá estar obrigatoriamente inscrito no congresso.
  • Todos os autores, das apresentações científicas que envolvam investigação biomédica em sujeitos humanos, serão responsáveis pela adoção dos princípios éticos existentes na declaração de Helsínquia;
  • A apresentação científica poderá versar um trabalho de:
    • Investigação científica (serão considerados os estudos de experimentação laboratorial ou animal, estudos epidemiológicos, ensaios clínicos e trabalhos de revisão sistemática e metanálise);
    • Caso(s) clínico(s);
    • Revisão bibliográfica narrativa (não concorrem a prémio, estando expostos durante o evento).

 

  • Os Pósteres deverão ter:
    • Altura máxima: 160 cm;
    • Largura máxima: 90 cm;
    • Nome do autor e co-autores seguido do grau académico;
    • Fotografia do autor na extremidade superior direita; símbolo da instituição (quando aplicável) na extremidade superior esquerda;
    • Redação em língua Portuguesa ou Inglesa.
  • Deverão estar expostos durante todo o Congresso, sendo da responsabilidade do(s) autor(es) a sua impressão e afixação.
  • Deverão ser convertidos em PDF (obrigatoriamente de tamanho inferior a 20MB) e ser enviados via email (geral@spdof.pt) até 10 dias após a aceitação do mesmo.
  • Os pósteres propostos a concurso pela Comissão Científica e, assim, candidatos a prémio serão apresentados sob a forma de comunicação oral (em língua Portuguesa ou Inglesa) perante um júri nomeado pela Comissão Científica, por uma duração máxima de 10 minutos, seguida de 5 minutos de discussão.
  • Considera-se “autor” todo o responsável por submeter o resumo da apresentação científica devendo estabelecer ligações a Instituições e/ou organismos onde foi desenvolvido o trabalho
  • Cada autor só poderá apresentar um trabalho científico e deve identificar-se no resumo com um asterisco, no entanto, poderá ser co-autor de outros trabalhos científicos.
  • Pelo menos um dos “autor” ou “co-autores” do trabalho científico terá que ser sócio ativo da SPDOF, apresentando as quotas em dia.
  • O autor responsável pela apresentação científica deve estar inscrito no Congresso da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial e comparecer no horário e local a definir pela Comissão Organizadora;
  • Caso surja algum impedimento que invalide a presença do autor este deverá comunicar esse facto ao responsável da Comissão Organizadora via e-mail, e indicar o co-autor substituto, que também ele tem que estar inscrito no congresso.
  • Só serão aceites resumos submetidos online com o preenchimento adequado do formulário e do documento anexo Abstract Template, em língua Inglesa, até ao dia 30 de Março de 2020.
  • Não serão aceites resumos enviados por outras vias (fax, email, através dos CTT, ou entregues “em-mão” a membros da Comissão Organizadora).
  • Resumo Alargado em Inglês com um máximo de 500 palavras, não excedendo uma página; enviados conforme o modelo anexo fornecido.
    • Devem ser submetidas 6–10 palavras-chave para cada trabalho
    • Título com o máximo de 2 linhas;
  • O não preenchimento adequado de todos os campos do formulário e Template conduz à recusa do resumo;
  • Os resumos de trabalhos de investigação deverão incluir mandatoriamente, os seguintes itens:
    • Introdução;
    • Objetivos;
    • Materiais e Métodos;
    • Resultados;
    • Conclusões;
    • Relevância clínica;
    • Fontes de financiamento (se aplicável).

 

  • Os resumos dos casos clínicos deverão incluir mandatoriamente, os seguintes itens:
    • Introdução
    • Descrição do caso clínico (tempo de follow-up, se aplicável);
    • Discussão;
    • Conclusões;
    • Fontes de financiamento (se aplicável).

 

  • Os resumos dos trabalhos de revisão bibliográfica narrativa deverão incluir mandatoriamente os seguintes itens:
    • Introdução;
    • Objetivos;
    • Método de pesquisa bibliográfica (bases de dados, palavras-chave, anos de revisão);
    • Resultados;
    • Conclusões.
    • Fontes de financiamento (se aplicável).

 

  • Os resumos serão avaliados pela Comissão Científica da SPDOF a qual se reserva o direito de não aceitar qualquer resumo que careça de rigor descritivo e/ou científico. Da decisão da dita Comissão Científica, não cabe recurso.
  • O autor receberá um e-mail de confirmação da receção do resumo. Caso não receba a confirmação no prazo de 24 horas após a submissão, deverá contactar por email a Comissão Organizadora (geral@spdof.pt)
  • Todos os trabalhos aceites serão publicados num livro de resumos com registo ISBN da edição da SPDOF.
  • Todos os trabalhos, candidatos a prémio, serão avaliados por um júri nomeado pela Comissão Científica que atribuirá dois prémios, consoante o tipo de apresentação científica:
    • Melhor comunicação oral de investigação científica;
    • Melhor comunicação oral de caso(s) clínico(s).
  • Na atribuição dos prémios, os júris, terão em consideração o mérito científico, a originalidade do tema, a relevância clínica do trabalho e a apresentação do mesmo;
  • A entrega do prémio será efetuada durante o decurso do Congresso em local e data a designar;
  • O autor de cada trabalho premiado será convidado como conferencista num evento científico da SPDOF a decorrer durante o ano seguinte ao Congresso da Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial.
  • Estudantes

    50.00€
    Obrigatória apresentação de comprovativo de frequência para o ano letivo de 2019/2020. Nesta categoria serão considerados os alunos de pré-graduado (Licenciatura ou Mestrado Integrado).
  • Sócio SPDOF

    75.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Sócios Entidades Parceiras

    90.00€
    Sócios SPEMD, APF, SPTF, SEDCYDO e GSID deverão apresentar comprovativo/cartão de sócio.
  • Não Sócios SPDOF

    100.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.
  • Suplemento Almoço

    30.00
    Incluídos 2 almoços durante o Congresso, a serem servidos no local do evento.
  • Estudantes

    80.00€
    Obrigatória apresentação de comprovativo de frequência para o ano letivo de 2019/2020. Nesta categoria serão considerados os alunos de pré-graduado (Licenciatura ou Mestrado Integrado).
  • Sócio SPDOF

    100.00€
    Exclusivo para Sócios Efetivos com situação de quotas regularizada.
  • Sócios Entidades Parceiras

    135.00€
    Sócios SPEMD, APF, SPTF, SEDCYDO e GSID deverão apresentar comprovativo/cartão de sócio.
  • Não Sócios SPDOF

    150.00€
    Obrigatório apresentação de cédula profissional.
  • Suplemento Almoço

    30.00
    Incluídos 2 almoços durante o Congresso, a serem servidos no local do evento.
TOP